Arte do Dia

Os príncipes das letras

Há 25 anos, Portugal ficou mais pobre com o falecimento de David Mourão-Ferreira. Além de ser um príncipe das letras, o escritor teve um destacado papel como Secretário de Estado da Cultura (1976-1979). Entre outros feitos, em 1977, foi por ele assinado o despacho que criou a Companhia Nacional de Bailado.

Nem sempre os filhos cumprem os desejos dos seus pais. Giovanni Boccaccio, nascido a um 16 de junho em pleno século XIV, filho de um mercador, não se dedicou ao comércio e decidiu cultivar o talento literário que se manifestou desde muito cedo. Tornou-se especialista na obra de Dante Aligheri - aliás, é graças a ele que a versão que conhecemos se chama "A divina comédia" e não apenas "A comédia", o titulo original. É de leitura obrigatória, e, aqui pode ver a versão com tradução de Vasco Graça Moura.

Bocaccio produziu também os seus próprios livros, alguns adaptados ao cinema. Os realizadores Paolo e Vittorio Taviani mergulharam em "Decameron", abordando questões morais da natureza humana sob diferentes pontos de vista., numa Florença da época da peste negra onde nada mais restava do que aguardar em isolamento pela morte. O filme, de 2015, chama-se "Maravilhoso Boccaccio". Veja o filme:

Mas também em 1971, Pier Paolo Pasolini tinha embarcado nesta viagem, adaptando nove das histórias de "Il Decameron". Veja aqui o trailer:

Neste dia, em 1961, viveu-se um dos maiores incidentes artísticos da Guerra Fria. Rudolf Nureyev, uma sensação na União Soviética, pede asilo político em Paris. Tudo começou a ser preparado quando o Balé Kirov se preparava para uma viagem à capital francesa e a Londres. A atitude impulsiva de Nureyev faziam dele um candidato improvável para a viagem. Além disso, as discussões iam crescendo entre Nureyev e o diretor artístico do Kirov, Konstantin Sergeyev. Mas assim que um representante francês viu Nureyev a dançar em Leninegrado em 1960, pediu às autoridades soviéticas que o deixassem dançar em Paris, e ele foi autorizado.

PUB

Já em França, e devido ao seu comportamento errático e ao hábito de se misturar com estrangeiros, o KGB quis mandá-lo de volta para a União Soviética. No aeroporto Le Bourget, antes de seguirem para Londres, Sergeyev chamou Nureyev à parte e disse-lhe que ele deveria retornar a Moscovo para uma apresentação especial no Kremlin, em vez de seguir com o resto da companhia.

Nureyev ficou desconfiado e recusou. Em seguida, foi informado de que sua mãe tinha ficado gravemente doente e que ele precisava de ir para casa imediatamente para vê-la. Tornou a recusar, acreditando que seria preso. Com a ajuda da polícia francesa e de uma amiga parisiense, Clara Saint, que havia sido noiva de Vincent Malraux, filho do ministro da Cultura da França, André Malraux, Nureyev escapou do KGB e pediu asilo. Aqui pode ver as notícias da época:

O Castelo de São Jorge, em Lisboa, comemora hoje o seu aniversário como monumento nacional. Merece sempre uma visita, não só pelas maravilhosas vistas como pela agenda cultural. Amanhã, às 11 horas, pode ver os grafitos medievais que lá foram encontrados, numa visita guiada com a professora Maria do Rosário Morujão.

E ainda antes de encerrar o dia revisite a obra poética de David Mourão-Ferreira. Aqui deixamos a interpretação de Amália Rodrigues do poema "Primavera", do escritor, cinco dias antes de nos despedirmos dela.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG