Cultura

Passos Coelho diz que Portugal também chora a morte de Cesária

Passos Coelho diz que Portugal também chora a morte de Cesária

O primeiro-ministro português expressou hoje a sua "profunda consternação" pela morte de Cesária Évora, salientando que tanto Cabo Verde como Portugal choram o falecimento desta "excepcional" interprete.

A cantora cabo-verdiana Cesária Évora, de 70 anos, morreu esta manhã no hospital Baptista de Sousa, em São Vicente, Cabo Verde, onde se encontrava internada desde sexta-feira.

"Foi com profunda consternação que tomei conhecimento do falecimento de Cesária Évora. Dirijo antes de mais uma palavra de condolências e profundo pesar à sua família e amigos próximos, bem como ao Governo e povo cabo-verdiano", refere Pedro Passos Coelho na sua mensagem, à qual a agência Lusa teve acesso.

Segundo o primeiro-ministro português, "não é apenas Cabo Verde que chora o desaparecimento de Cesária, Portugal chora também com Cabo Verde".

"Cesária foi uma artífice ímpar e uma intérprete excepcional das mais belas expressões da música cabo-verdiana. Com Cesária, a saudade (sôdade) ganhou uma nova profundidade enraizada nas mais belas prosas musicais que o mundo de expressão crioula e de raiz lusófona jamais conheceu", sustenta o líder do executivo português.

Na perspectiva de Pedro Passos Coelho, Cesária Évora, "foi também uma pessoa de bondade contagiante, que tocou corações e motivou tantos quantos tiveram a oportunidade de a conhecer mais de perto".

"Presto hoje homenagem a esta grande artista que levou a morna e Cabo Verde aos mais recônditos lugares do planeta. Grande amiga de Portugal, Cesária, conhecida como "Rainha da Morna", ficará nos nossos corações para sempre também como uma diva mundial, que deixa uma infinidade de admiradores e seguidores um pouco por todo o mundo. É também a World Music, cujo mais alto galardão recebeu em 2004, que fica mais pobre. O mundo acordou hoje um pouco mais pobre", refere o primeiro-ministro na sua mensagem.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG