Polémica

Pénis crucificado numa obra de arte abre debate sobre censura na Letónia

Pénis crucificado numa obra de arte abre debate sobre censura na Letónia

A retirada de três peças do ceramista Sander Raudsepp de uma exposição no Centro de Artes Mark Rothko, na Letónia, por conteúdo considerado ofensivo, desencadeou um debate sobre censura no país.

Em causa, está uma série de esculturas em cerâmica intitulada "Your Own Alternative Jesus" ("O teu próprio Jesus alternativo", em português), do artista estónio Sander Raudsepp, que cria várias interpretações do crucifixo, incluindo uma em que surge um pénis no lugar de Jesus Cristo na cruz.

As duas restantes obras removidas da exposição em Daugavpils, segunda maior cidade letã e terra natal do artista plástico Mark Rothko, remetem para um Jesus a empunhar duas armas automáticas, uma em cada mão, e outra com um urso sentado em cima de uma cruz.

PUB

O comissário do Centro de Artes Mark Rothko, Aivars Baranovskis, disse à agência de notícias espanhola Efe que as peças foram retiradas em meados de novembro, após um pedido de funcionários do município de Daugavpils.

Se ao início o episódio foi apenas divulgado nos meios locais, nos últimos dias surgiram várias manifestações de repúdio contra o município, considerando que está em causa um ato de censura e violação da liberdade artística e de expressão - posição assumida pela Associação Letã de Museus e pelo ministro da Cultura daquele país, Nauris Puntulis.

Puntulis, membro do partido Aliança Nacional (de centro-direita), disse a órgãos de comunicação locais que as expressões de arte contemporânea tendem a ser desafiantes, provocativas, não aceitáveis para todos, e assinalou que o centro Mark Rothko levou a cabo um trabalho explicativo sobre a exposição.

Já Aivars Baranovskis afirmou que o museu, apoiado pelos filhos do artista Mark Rothko, apoia exibições de obras de arte provocadoras, à imagem do espírito do artista plástico que lhe dá o nome, que era também ele um provocador.

Por seu turno, os defensores da retirada das obras sustentam que o município respondeu de forma correta às queixas apresentadas por clérigos católicos, protestantes e ortodoxos, que se sentiam ofendidos pelas obras de cerâmica, que consideraram obscenas e "blasfemas".

Em entrevista à Efe, o artista Sander Raudsepp referiu que foi a primeira vez que algo semelhante lhe tinha acontecido, sublinhando que a arte "não é apenas decoração".

O Centro de Artes Mark Rothko é a primeira instalação permanente com obras daquele artista na Europa de Leste, noticiou a Reuters, no momento da sua inauguração, em 2013.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG