Festival Sudoeste

Post Malone poderoso e apaixonado em grande noite na Zambujeira do Mar

Post Malone poderoso e apaixonado em grande noite na Zambujeira do Mar

Post Malone exibiu-se poderoso e apaixonado na segunda noite do Sudoeste, naquele que será muito provavelmente recordado como um dos grandes momentos da 23ª edição do festival alentejano.

Foi com a maior enchente registada até agora no relvado central do Sudoeste, que o norte-americano Post Malone subiu quinta-feira à noite ao palco principal do recinto.

Austin Richard Post, nome verdadeiro do cantor nascido em Nova Iorque, deu início ao concerto com o tema "Too Young", do álbum "Stoney" (2016) e desde o início percebeu-se que o público estaria com ele até ao final.

Movendo-se como um tigre em palco, umas vezes forte e feroz, outras vezes solitário e indefeso, o artista que tem nas tatuagens uma imagem de marca, foi soltando vários dos temas que o tornaram um dos mais influentes nomes do hip-hop mundial: "Better Now", "Psycho", "I Fall Apart" ou "Sunflower" foram cantados pelo público como verdadeiros hinos. Mas foi com "White Iverson" que a plateia atingiu o pico de emoção.

"Provavelmente é a única boa canção que tenho" desabafou antes mesmo de cantar o tema incluído no primeiro álbum "Pattaya" (2016). O público despediu-se das palavras e batidas de Post Malone ao som de "Rockstar" e "Congratulations", com o artista a destroçar em palco a guitarra que momentos antes tocara para interpretar a balada "Stay". No final, os festivaleiros entoaram a pleno pulmão o slogan "esta m*** é que é boa!" numa espécie de manifesto coletivo.

Jimmy P. inaugurou o palco principal

Pela quarta vez na Zambujeira do Mar, Jimmy P. inaugurou o palco principal na segunda noite do festival, num concerto marcado pela 'boa vibração' do rapper português.

Do hip-hop ao reggae passando pelo rock e pelo pop, Jimmy P. iniciou o espetáculo com temas como "Storytellers" e "On Fire" e pouco a pouco foi contagiando os festivaleiros com a sua energia.

No momento de interpretar o sucesso "Ano Novo", lançado em 2018 em parceria com Deejay Telio, o rapper saltou do palco para o meio do público exigindo mais da plateia. "Isto é demasiado sério para fazer de forma leviana, vamos todos juntos" gritou o rapper, provocando uma explosão entre os fãs que cantaram em uníssono o refrão "Eu deixei o ano velho, vou viver o ano novo".

Até ao final do concerto, Jimmy P. cantou "Contigo", tema gravado com Carolina Deslandes e "Young Forever" - música que conta com a participação dos Wet Bed Gang (que sobem esta sexta feira ao palco principal do recinto) - e deixou uma mensagem: "É importante apoiar o que se faz em Portugal e a música nacional. São vocês que fazem o nosso sonho cumprir-se!"

Ainda antes da entrada em cena de Post Malone, foi a vez do rapper norte-americano 6lack subir ao palco principal do Sudoeste. O autor de "East Atlanta Love Letter" estreou-se em Portugal com um espetáculo morno, dentro do seu registo muitos vezes apelidado de "moody hip-hop" numa combinação das sonoridades do r&b e do trap. Destaque para os temas em torno de desgostos amorosos como "Prblms", "Ex Call" ou "Let Her Go".

Para o fim estava guardada uma "surpresa" chamada Kura. O DJ português - 48º lugar no DJ Mag Top 100 - agitou o recinto até às 4h da manhã e nem os primeiros chuviscos demoveram os festivaleiros de dançar até à última batida.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG