fado

Prémios Amália distinguem 22 personalidades

Prémios Amália distinguem 22 personalidades

Os fadistas Cidália Moreira e Rodrigo são alguns dos distinguidos com Prémio Amália Rodrigues, cujo júri decidiu, nesta sétima edição, "alargar as categorias dos premiados para fora das fronteiras do fado".

Num comunicado enviado à agência Lusa, a Fundação Amália refere que o júri decidiu "alargar as categorias", ao considerar "o legado de Amália transversal e universal, não se deixando prender a géneros ou preconceitos".

Este ano são distinguidas 22 personalidades em 13 categorias, estando agendada a cerimónia de entrega para o dia 30 no Coliseu dos Recreios, em Lisboa.

Algumas das categorias dos prémios distinguem personalidades "dentro do fado" e "fora do fado".

Com o Prémio Revelação são distinguidos "dentro do fado", Micael Gomes (guitarra portuguesa), Bernardo Viana (viola de fado) e Fábia Rebordão (voz); "fora do fado" é distinguido o pianista e compositor Filipe Raposo.

O CD "Os fados e as canções do Alvim", de Fernando Alvim e amigos, é distinguido com Prémio Álbum do Ano "dentro do fado", enquanto que "fora do fado" recebe o CD "Em busca das montanhas azuis", de Fausto Bordalo Dias.

O Prémio de Composição é para Carlos Manuel Proença que já tinha sido distinguido em 2008 com o Prémio Melhor Instrumentista, e o Prémio Letrista para João Monge.

PUB

O Prémio Instrumentistas distingue Ângelo Freire (guitarra portuguesa), Diogo Clemente (viola de fado) e Filipe Larsen (viola baixo).

O Prémio Ensaio foi para a obra "A Origem do Fado", de José Alberto Sardinha, enquanto o Prémio Divulgação, entregue este ano pela primeira vez, é para a Rádio Amália.

Desde 2006, a Fundação Amália Rodrigues entrega o Prémio Ensaio e Divulgação que é agora dividido em dois. Rui Vieira Nery, o Museu do Fado e José Manuel Osório foram algumas das personalidades distinguidas em edições anteriores.

O Prémio Produção Discográfica, uma das novidades da edição deste ano, foi para José Mário Branco, que tem produzido os mais recentes álbuns de Camané, fadista já galardoado com o Prémio Melhor Intérprete.

O Prémio Intérprete "dentro do fado" distingue Carminho que em 2005 recebeu o Prémio Amália Revelação, e na área "fora do fado" Rui Veloso, intérprete e compositor com 40 anos de carreira artística.

O Prémio Carreira "dentro do fado" é para Cidália Moreira e Rodrigo, e "fora do fado" para Paulo de Carvalho a celebrar 50 anos de carreira.

Prémio Fusão, outra categoria nova este ano, distingue ex-aequo os pianistas Mário Laginha e Bernardo Sassetti, este falecido em maio passado.

Mísia irá receber o Prémio Divulgação Internacional e Gonçalo Salgueiro o Prémio Tributo a Amália Rodrigues pelo seu álbum "No tempo das cerejas", editado em 2002.

O Prémio Amália Internacional tinha sido entregue nas duas primeiras edições do galardão, em 2005 e 2006, respetivamente a Mariza e Cristina Branco. O Prémio Tributo a Amália é uma novidade assim como o Prémio Prestígio que distingue o guitarrista e compositor António Chainho e o maestro e compositor António Vitorino d'Almeida.

Além de Jorge Fernando, instrumentista que chegou a acompanhar Amália Rodrigues, o júri deste ano foi ainda formado pelo fadista e radialista José Gonçalez, a compositora e intérprete Amélia Muge, o jornalista e letrista Nuno Miguel Guedes, o guitarrista e compositor Sidónio Pereira e ainda Álvaro Sales Lopes, do Conselho Geral da Fundação Amália Rodrigues, instituída por vontade testamentária da artista, falecida em Lisboa, em 1999.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG