Europa Criativa

Programa de 2,5 mil milhões para a sustentabilidade da Cultura

Programa de 2,5 mil milhões para a sustentabilidade da Cultura

A comissária europeia para a Inovação e Investigação, Mariya Gabriel, assegurou esta quinta-feira que o programa Europa Criativa 2021-2027 vai apostar na "sustentabilidade económica" e a "inclusão digital" dos setores cultural e criativo, financiando projetos para desafios específicos.

"'Unidos na diversidade' não é apenas um 'slogan'. Vamos abordar isto de forma sistémica, porque a União Europeia [UE] é o local certo para se ouvir essa voz", afirmou a comissária que também tutela a Cultura, a Educação e o Desporto, na conferência de lançamento do programa Europa Criativa 2021-2027, realizada no Mosteiro dos Jerónimos, em Lisboa.

Este programa prevê um apoio aos setores cultural e criativo, com um financiamento de cerca de 2,5 mil milhões de euros para o período 2021-2021, o que representa um aumento de cerca de 50% face ao programa anterior.

Mariya Gabriel assegurou que o Europa Criativa vai financiar "projetos para desafios específicos" e "generalizar boas práticas para ter a certeza de que todos têm a oportunidade de fazer parte da sua comunidade sem discriminação".

Neste âmbito, a Comissão Europeia vai publicar um relatório, em setembro, sobre as "condições de trabalho dos artistas e dos profissionais culturais", com um "tópico que tem em vista a crise que enfrentaram durante o ano anterior".

A comissária anunciou também a adoção, na próxima semana, das "orientações europeias acerca das atividades criativas europeias", por forma a garantir não apenas uma reabertura segura, mas uma "reabertura sustentável do setor".

"O programa vai contribuir para esta revitalidade do sistema, apoiando os criativos para que eles possam fazer mais para as pessoas", disse.

PUB

Por outro lado, o Europa Criativa vai também facilitar a criação de "pontes entre a cultura e os setores sociais", continuando a cumprir os seus dois objetivos principais: "promover e salvaguardar a diversidade linguística, cultural e patrimonial" europeia e "aumentar a competitividade dos setores culturais e criativos".

Intervindo na conferência através de uma mensagem gravada, o comissário europeu para o Mercado Interno, Thierry Breton, justificou a importância deste programa pelo facto de a cultura e a comunicação social estarem a ser "fundamentais" sobretudo durante a pandemia de covid-19, ao manter "os cidadãos informados e entretidos durante o confinamento".

Thierry Breton salientou que o aumento do financiamento do Europa Criativa relativamente ao quadro anterior pretende "ajudar os profissionais do setor a recuperar" do impacto da pandemia, mas também "transformar e aumentar a resiliência do ecossistema cultural e criativo".

"Queremos que as empresas de distribuição e produção europeias aproveitem plenamente as oportunidades digitais para poderem crescer no mercado único", afirmou.

Numa altura de "ameaças crescentes para o pluralismo e para a independência", o comissário apontou ainda que, pela primeira vez, o programa Europa Criativa vai promover "um setor de comunicação social noticiosa são e sustentável em toda a Europa", através da adaptação dos seus modelos comerciais e do desenvolvimento de novos modelos, "reforçando também a autonomia do ecossistema dos média europeus".

A eurodeputada e presidente da Comissão da Cultura e Educação do Parlamento Europeu, Sabine Verheyen, sublinhou o maior financiamento do programa Europa Criativa como "um reconhecimento simbólico da Cultura".

"[A cultura] é única em cada um dos países e distingue-nos uns dos outros, mas cria ao mesmo tempo pontes entre as nossas culturas europeias. Sem cultura não seríamos Europa", reforçou.

A conferência de lançamento do novo Programa Europa Criativa é uma iniciativa promovida pela presidência portuguesa do Conselho da União Europeia, em colaboração com a Comissão Europeia, que decorre até sexta-feira, 18 de junho, a partir do Mosteiro dos Jerónimos e do Centro Cultural de Belém em Lisboa.

O evento tem como objetivo apresentar as principais novidades do Programa Europa Criativa e explorar as suas sinergias com outros instrumentos de financiamento europeus.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG