Premium

Quebra nas vendas cancela lançamentos de livros

Quebra nas vendas cancela lançamentos de livros

Atividade livreira sofre perdas drásticas, provocando problemas de tesouraria, mudança de estratégias e redução de títulos no mercado.

Nas próximas semanas serão poucos os novos títulos que chegarão às livrarias. A quebra de vendas ditada pela atual situação de emergência, num setor já de si fragilizado, preocupa editores e livreiros e obrigou a um repensar de estratégias editoriais. Alguns simplesmente cancelaram todos os lançamentos previstos para este mês e o próximo, enquanto outros optaram pela redução do número dos novos títulos já programados. Várias pequenas livrarias independentes encerraram ao público, assim como duas das maiores cadeias de vendas de livros: Bertrand e FNAC.

O primeiro sinal foi dado pela Penguin Radom House, o gigante editorial norte-americano, que em Portugal congrega as chancelas Alfaguara, Companhia das Letras, Objectiva, Suma de Letras, Arena, Nuvem de Letras e Nuvem de Tinta. "Entendemos que o caminho mais sensato passa por adiar a publicação de todas as novidades que estavam previstas para as próximas semanas", adiantou o grupo em comunicado.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG