Justiça

Rapper ASAP Rocky acusado por violência pelo tribunal da Suécia

Rapper ASAP Rocky acusado por violência pelo tribunal da Suécia

O rapper americano ASAP Rocky vai ser julgado em tribunal, na Suécia, por acusações de violência, depois de se ter envolvido numa rixa, no final de junho, em Estocolmo, um caso que mobilizou a comunidade 'hip-hop' e o Presidente norte-americano Donald Trump.

Segundo a Agência France Presse (AFP), dois membros da equipa de ASAP Rocky, também envolvidos na situação, serão julgados com o rapper, em data ainda por anunciar.

"Decidi avançar com a acusação das três pessoas suspeitas de agressão, considerando que os factos eram constitutivos de um delito", disse o procurador responsável pela investigação, num comunicado citado pela AFP.

O procurador descartou a tese de legítima defesa, avançada pelo artista.

Rakim Mayers, nome verdadeiro de ASAP Rocky, foi detido no dia 3 de julho depois de um concerto, juntamente com outras três pessoas, pertencentes à sua equipa.

A detenção ocorreu no seguimento de uma rixa, em que estiveram envolvidos, no dia 30 de junho, nas ruas da capital sueca, adianta a AFP.

No dia 5 de julho, o tribunal ordenou a entrada dos três arguidos na prisão, alegando que havia "risco de fuga" para o exterior, acrescenta.

PUB

ASAP Rocky e os dois membros da equipa deverão permanecer detidos até ao julgamento, que está previsto para agosto, avança a AFP.

O Presidente norte-americano Donald Trump demonstrou o seu apoio ao cantor, anunciando, na semana passada, "estar pronto para pessoalmente garantir a libertação de ASAP Rocky, fazendo saber ao primeiro-ministro sueco, Stefan Löfven".

Amigos e fãs do rapper recolheram 630 mil assinaturas numa petição, na internet, que apela à sua libertação, indicando que "reagiu à situação em legítima defesa", diz a AFP.

ASAP Rocky, cantor de rap nova-iorquino de 30 anos, começou a sua carreira em 2011, com o lançamento do álbum "Live, Love, ASAP".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG