Confirmação

Reino Unido vai receber Festival Eurovisão em 2023

Reino Unido vai receber Festival Eurovisão em 2023

O 67.º Festival Eurovisão da Canção vai mesmo realizar-se no Reino Unido, em maio de 2023, anunciou esta segunda-feira a União Europeia de Radiodifusão (EBU), depois de ter decidido que a Ucrânia não poderia receber o concurso.

"A EBU e a [estação pública britânica] BBC têm o prazer de confirmar que o Festival Eurovisão da Canção de 2023 será realizado no Reino Unido, em nome da emissora vencedora deste ano, a [estação pública] ucraniana UA:PBC", lê-se num comunicado hoje divulgado no site oficial da EBU.

A Ucrânia venceu, em maio, o 66.º Festival Eurovisão da Canção, em Turim, Itália, com o tema "Stefania", interpretado pela Kalush Orchestra. Por ter vencido o concurso, a Ucrânia deveria ser no próximo ano o país anfitrião, tal como aconteceu em 2005 e 2017.

PUB

No entanto, em 17 de junho, a EBU anunciou que aquele país não iria acolher o concurso em 2023, devido à guerra no país.

"Após a decisão de que, lamentavelmente, a edição do próximo ano não pode realizar-se na Ucrânia por razões de segurança, a EBU explorou várias opções com a UA:PBC. Como resultado das conversações, a BBC, segundo classificado no concurso este ano, foi convidada pela EBU para ser anfitriã do 67.º Festival Eurovisão da Canção", lê-se no comunicado hoje divulgado.

Esta será a nona vez que o Reino Unido acolhe o concurso. Londres recebeu o Festival Eurovisão da Canção em 1960, 1963, 1968 e 1977, Edimburgo, em 1972, Brighton, em 1974, Harrogate, em 1982, e Birmingham, em 1998.

A cidade que vai acolher o concurso "será escolhida nos próximos meses, após um processo que se inicia esta semana" e as datas do concurso em 2023 "serão anunciadas oportunamente".

A EBU explica que representantes da UA:PBC irão trabalhar com a BCC para "desenvolver e implementar elementos ucranianos no concurso do próximo ano".

Ucrânia, como o país vencedor deste ano, estará automaticamente classificado para a Grande Final em 2023, juntando-se aos chamados "Big Five": França, Alemanha, Itália, Espanha e Reino Unido.

A 66.ª edição do festival, que se realiza anualmente na Europa desde 1956, incluía inicialmente 41 países, mas a EBU anunciou em 25 de fevereiro, um dia após a invasão da Ucrânia, que a Rússia iria ficar de fora.

A vitória da Ucrânia, a terceira na Eurovisão, deveu-se essencialmente à votação popular, não tendo o Reino Unido, que venceu na votação dos júris nacionais, conseguido ultrapassar os 631 votos da Ucrânia, 439 deles dados pela votação popular.

Este ano, Portugal alcançou o nono lugar, uma posição que já tinha obtido em duas outras competições, depois de conseguir um quinto lugar quando contabilizada apenas a votação dos júris nacionais.

A canção "Saudade, Saudade", por Maro, não obteve nessa votação a pontuação máxima, mas vários países deram 10 pontos a Portugal, um deles a Ucrânia.

Dos 40 júris nacionais votaram na canção portuguesa 29 países, tendo então Portugal obtido 171 pontos. O Reino Unido, que estava só com essa pontuação em primeiro lugar, obtivera 283 pontos.

Na votação popular Portugal conseguiu apenas 36 pontos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG