Cultura

Rolling Stones gravaram em estúdio em Paris

Rolling Stones gravaram em estúdio em Paris

O grupo rock inglês Rolling Stones esteve reunido num estúdio, em Paris, numa altura em que assinala 50 anos de carreira, noticia esta terça-feira o jornal britânico The Guardian.

O jornal cita uma informação que o vocalista dos Rolling Stones, Mick Jagger, colocou na quinta-feira passada na Internet, no Twitter - "Diverti-me esta semana no estúdio em Paris" - juntamente com uma fotografia, na qual se mostra rodeado de instrumentos e empunhando uma guitarra.

O diário afirma ainda que os músicos foram fotografados na semana passada a sairem de um estúdio em Paris e, na sessão, terão estado ainda os músicos Don Was, Chuck Leavell e Darryl Jones.

Na passagem por um estúdio, Mick Jagger, Keith Richards, Charlie Watts e Ron Wood terão gravado alguns temas para uma coletânea de êxitos que deverá sair no outono, indica The Guardian.

A imprensa britânica tem seguido atentamente qualquer movimentação dos Rolling Stones porque se cumprem 50 anos de carreira da banda.

Nada foi ainda confirmado, mas circulam rumores de um concerto das bodas de ouro, de um novo disco ou a possibilidade de uma nova digressão.

A 12 de julho de 1962, num clube em Londres, Mick Jagger (voz), Keith Richards (guitarra), Brian Jones (guitarra), Mick Avory (bateria) e Dick Taylor (baixo) - a primeira formação dos Rolling Stones - tocaram cinco músicas, que deram o tiro de partida de uma das mais duradouras bandas rock.

O grupo batizou-se com o nome de uma música de Muddy Waters ("Rollin'Stone"), queria ser o oposto dos Beatles, desejava ser "a melhor banda de rythm & blues de Londres e conseguir concertos regulares", como explicou o guitarrista Keith Richards na biografia oficial.

À revista Rolling Stone, Mick Jagger admitiu o espanto pela longevidade dos Rolling Stones.

"É um grupo muito diferente daquele que tocou há 50 anos. Quando penso sobre isso, uma parte de mim diz 'Estamos a fazer batota', porque não é a mesma banda; tem o mesmo nome, mas só o Keith e eu é que somos os mesmos. (...) É um feito espetacular. É fantástico e estou muito orgulhoso disso", disse o vocalista, hoje com 68 anos.

A última digressão do grupo, "A bigger band", que passou por Portugal, incluiu 147 concertos em 118 cidades.