Cultura

Santuário do Sameiro nas mãos dele

Santuário do Sameiro nas mãos dele

Com 18 anos, Sérgio Henrique Viana arrisca-se a ser o mais jovem organista português. Desde agosto que é o organista do Santuário do Sameiro e na Sé de Braga. É, também, diretor do coro da Paróquia da Sé.

"Obriga a muito trabalho e a um estudo continuado, mas quem anda por gosto não cansa", afirmou, ao JN, o jovem, natural da cidade de Braga, mas a viver em Prado, Vila Verde. Começou a tocar órgão de tubos aos 14 anos, com o professor José Carlos Azevedo e, desde então, sempre de forma particular, continua a ter aulas e a fazer "masterclasses" para conhecer "cada vez melhor" os instrumentos que existem em muitas igrejas nacionais, mas que pouca gente sabe tocar.

Só na diocese de Braga, cerca de meia centena de templos têm órgãos de várias formas e tamanhos. "O único órgão moderno que existe no Norte está na igreja de Joane, em Vila Nova de Famalicão, e foi importado da Alemanha. Todos os outros são antigos ou construídos tendo como modelo os órgãos antigos".

O órgão da Sé é o preferido de Sérgio. Começou a ser construído em 1737 e ficou pronto em 1939. É conhecido em todo o Mundo por ser um ícone do estilo barroco. "É extraordinário tocar na Sé porque todo o ambiente é extraordinário", revelou o organista. Com 18 anos, fica "doente" quando vê outros músicos a tocar no órgão da Sé "como se estivessem a tocar piano".

"Ensaio num órgão histórico, não o posso estragar nem danificar com experiências musicais como vejo algumas pessoas a fazer. É o nosso património que está em causa. Temos de ensaiar nos órgãos que existem, que são todos históricos, mas com a firme consciência de que estamos a trabalhar com pérolas".

Turistas merecem

Desde que a entrada na Sé de Braga é paga, Sérgio Viana tenta ensaiar o maior número de vezes possível no órgão da Sé: "Penso que é uma prenda que ofereço aos turistas que pagaram para visitar a Sé. Além de apreciarem o monumento, podem escutar a beleza da música tocada num órgão que, também ele, é conhecido no Mundo inteiro".

PUB

No futuro, está a licenciatura em Música. "Acredito que é possível viver da música em Portugal e acredito que é preciso formar púbicos para instrumentos tão específicos como o órgão de tubos".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG