Palco

Sara Barros Leitão quer um "ano do nosso desconfinamento" no Teatro Oficina

Sara Barros Leitão quer um "ano do nosso desconfinamento" no Teatro Oficina

Peças de teatro, podcast em jeito de diário de bordo, jornadas, recuperação do espólio e jornais estão entre os projetos da diretora artística convidada para 2022 da companhia de Guimarães.

A atriz e encenadora Sara Barros Leitão é a diretora artística do Teatro Oficina, em Guimarães, durante 2022. Para o ciclo de atividades a ter lugar no Espaço Oficina, está proposto, além de peças de teatro originais, a criação de um podcast, um arquivo, uma biblioteca, um círculo de leitores e ainda jornadas pensadas para estudantes ou jovens profissionais.

O convite partiu da Cooperativa Cultural A Oficina, depois de uma reabilitação do espaço, que funciona numa cave de um prédio, denominada Blackbox.

A premissa é tornar o Teatro Oficina "num espaço de resistência e de criação", com um ciclo de atividades a ter a duração de um ano, a que Sara Barros Leitão chamou de "o ano do nosso desconfinamento", sublinhando ser este um "desejo e não uma profecia".

"O meu objetivo é tornar o Teatro Oficina, novamente, numa companhia de criação, de pensamento, que tem o teatro no centro das suas preocupações, e que toda a sua ação acontece a partir do espaço Oficina, a partir desta cave", afirmou Sara Barros Leitão no dia da apresentação.

"Há ir e voltar" é o título provisório da criação original do teatro vimaranense, escrita e encenada pela atriz para três atrizes, dedicada à migração e à época em que Guimarães recebia algodão vindo das ex-colónias. A estreia está marcada para 22 de setembro, sendo exibida durante três semanas.

Para serem desenvolvidas ao longo do ano há atividades como a anti-biblioteca e anti-leituras, que pretende reunir textos dramáticos, livros técnicos ou ensaios, tudo o que esteja relacionado com o teatro, e criar uma biblioteca no Espaço Oficina. A também fundadora do clube do livro feminista Heróides propõe igualmente encontros quinzenais entre os amantes de leitura de teatro.

PUB

A pensar nos atores, serão realizadas duas jornadas de teatro. Uma para os estudantes e os que já procuram um lugar no mundo dos palcos, com masterclasses dedicadas à entrada no mercado. E outra para os profissionais, com foco em temas além-teatro.

Ademais, Sara Barros Leitão pretende realizar um "Assalto ao arquivo", durante um fim de semana, para uma organização da história da companhia, e torná-la acessível a todos. Para isso, pede ajuda aos amigos do Teatro Oficina na identificação de material.

E para ninguém ficar de fora destas atividades, um podcast intitulado "Tentativa e erro" será realizado com uma periodicidade quinzenal. Funcionará como um diário de bordo da Oficina e do pensamento artístico da encenadora. Estará brevemente disponível nas plataformas digitais.

Quem preferir manter-se atualizado com recurso ao papel terá "Última Hora", jornal do Teatro Oficina, sem periodicidade fixa, que irá anunciar atividades vindouras. Pode ser encontrado pelas ruas da cidade e também online.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG