Cultura

Selo "prova" que Belém existia sete a oito séculos antes de Cristo

Selo "prova" que Belém existia sete a oito séculos antes de Cristo

É um pedaço de barro sensivelmente do tamanho de uma unha de um polegar. Perde-se na palma da mão, mas o selo com a inscrição "Belém" é uma "prova" de que a cidade existia sete ou oito séculos antes de ser conhecida como a terra natal de Jesus.

Os arqueólogos israelitas dizem que descobriram a primeira prova física que suporta os relatos do Velho Testamento sobre a existência de Belém muito antes da cidade ser conhecida como o berço de Jesus Cristo.

A prova é um pequeno pedaço de barro que os arqueólogos encontraram perto das muralhas da Cidade Velha, em Jerusalém. Trata-se de um selo de barro com três linhas de texto escritas em hebraico antigo, onde se pode ler a palavra "Bethlehem", Belém.

"É a primeira vez que o nome Belém aparece numa inscrição sem ser na Bíblia, no período do Primeiro Templo", que medeia entre 1006 e 586 antes de Cristo, explicou Eli Shukron, que dirigiu escavação para a a Autoridade de Antiguidades de Israel.

Segundo Shukron, o selo pode ter sido colocado num carregamento de prata ou em produção agrícola enviada de Belém, cidade situada a sul de Jerusalém, para o reino de Judá, algures entre o século XVIII ou XVII antes de Cristo.

O selo prova que Belém, mencionada pela primeira vez no Livro dos Génesis, "era, na verdade, uma cidade do reino de Judá, possivelmente até em períodos anteriores" ao século XVII antes de Cristo.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG