Cultura

Serralves apresenta cartaz de mais "40 horas non-stop"

Serralves apresenta cartaz de mais "40 horas non-stop"

Pelo oitavo ano, a Fundação de Serralves propõe ao Porto 40 horas non-stop, com mais de 100 actividades e de 240 apresentações distintas, numa "constelação de desafios aos visitantes" patrocinada pelo Serralves em Festa.

Durante 40 horas, entre as 08:00 de 28 de Maio e as 23:59 de 29 de Maio, Serralves não dorme e apresenta um festival das artes, que congrega áreas tão distintas como a música, a dança, circo, cinema ou teatro.

"O que há de novo é o programa, que apresenta uma constelação de desafios aos visitantes. Este Serralves em Festa abre a programação a momentos mais amplos, com mais linguagens e artistas", disse hoje o diretor do museu de Serralves na apresentação da oitava edição do evento.

PUB

João Fernandes destacou o programa musical "extremamente forte", com música para todos os gostos.

"Para nós, não há diferença entre música popular e erudita", garantiu, apontando como momentos altos a presença de um "projeto inovador" como os Gang Gang Dance, no encerramento, e da Flamenco Big Band, do saxofonista Perico Sambeat.

Para a madrugada non-stop de Serralves, uma noite que, de acordo com João Fernandes, só é equiparável à noite de São João, o evento propõe a provocação das Chicks on Speed e "um momento especial" que está a ser projectado por J-Wow e Kalaf, dos Buraka Som Sistema.

Na dança, o director do Museu de Serralves realçou o regresso da coreógrafa francesa Martine Pisani, com quatro apresentações de "As Far as the Eye Can Hear" ao longo do fim-de-semana, e a peça "Sideways Rain", de Guilherme Botelho.

E como o Serralves em Festa é um festival das artes, o circo não podia faltar naquele que é "um dos grandes momentos anuais" da Fundação, com a companhia francesa Akoreacro e o seu projeto Pffffff!, e a companhia Les Philébulistes e o seu "Arcane" a merecerem menção especial.

Para o director do Museu de Serralves, esta é uma ocasião única para redescobrir os espaços da Fundação e para reinventar Serralves.

"O Serralves em Festa é uma montra, uma amostra da actividade da Fundação", resumiu a directora-geral, Odete Patrício, que definiu o evento como "uma mega-parceria que envolve muitos artistas e técnicos" e que promove um "volume muito grande de atividades".

Com a programação final sem estar fechada, Odete Patrício realçou o facto de o Serralves em Festa ser uma prenda que Serralves dá à comunidade.

Este ano, a directora-geral da instituição espera que o sucesso da iniciativa - que mais uma vez arranca no aeroporto do Porto no dia 26 de Maio e na Baixa da cidade no dia seguinte - junto do público seja semelhante ao da edição anterior.

"O evento, em termos de capacidade, atingiu um patamar muito elevado. No ano passado teve 102 mil visitantes, o que é um número confortável e difícil de sustentar. Por isso, se ficarmos por aí, ficaremos muito bem", concluiu.

Em sete edições, o Serralves em Festa contou com a presença de 3.600 artistas, 495 mil visitantes, dos quais 94 mil foram estrangeiros, num total de 1.500 eventos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG