Música

Sinfónica da Casa da Música grava Fandango a partir de casa

Sinfónica da Casa da Música grava Fandango a partir de casa

A partir de casa, 50 músicos da Orquestra Sinfónica da Casa da Música juntaram-se na interpretação do Fandango de Luís de Freitas Branco, cuja transmissão decorrerá esta quinta-feira à noite.

Cada um dos 50 músicos gravou a sua interpretação em casa. O som final é real e resulta da junção das várias interpretações individuais.

O Fandango, uma dança rápida de pares que remonta ao séc. XVIII, é o último andamento da primeira Suite Alentejana, de 1919, e é o trecho mais conhecido do compositor português Luís de Freitas Branco.

A transmissão da peça decorrerá esta quinta-feira à noite, pelas 22 horas, no blog da Casa da Música e nas respetivas páginas de Instagram e Facebook.

A Casa da Música vai retomar os concertos no próximo dia 1 de junho, apenas na Sala Suggia, com lotação limitada, a programação redesenhada para se adequar ao momento atual e entradas livres durante todo o mês.

Não havendo ainda regras claras da parte do Ministério da Cultura, sobre o funcionamento das salas e espetáculos, a Casa da Música, explicou à agência Lusa o diretor artístico, António Jorge Pacheco, optou "pelas medidas mais restritivas", que implicam uma "redução drástica da lotação da sala", uma obrigatoriedade do uso de máscara, dois metros de distanciamento social e material de desinfeção pelo espaço da instituição.

Há ainda limitações no que diz respeito ao número permitido de músicos em palco e restrições ao nível dos intérpretes estrangeiros que podem não conseguir deslocar-se até ao Porto, levando a que, entre outras razões, a programação tenha sido refeita, a começar, no dia 1, com um concerto da Orquestra Barroca, que vai interpretar peças de William Corbett, Wilhelmine von Bayreuth, Henry Purcell, Antonio Vivaldi, John Blow e Pedro Jorge Avondano.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG