O Jogo ao Vivo

Cultura

Souto de Moura lembra engenho e arte dos portugueses

Souto de Moura lembra engenho e arte dos portugueses

O prémio Pritzker 2011 para Souto de Moura lembra, num momento difícil para o País, o "engenho e arte" dos portugueses e o seu reconhecimento internacional, disse hoje à agência Lusa o embaixador português em Washington.

"Torna o meu trabalho muito mais agradável", afirmou Nuno Brito, anfitrião de um almoço na sua residência em homenagem a Eduardo Souto de Moura, que hoje recebe o "prémio Nobel da Arquitectura" em Washington.

Na cerimónia na capital norte-americana esteve presente o presidente norte-americano, Barack Obama, e a primeira-dama, Michelle Obama.

A presença de Obama é, afirma, uma distinção em primeiro lugar para o arquitecto, mas também para os luso-americanos e portugueses residentes nos Estados Unidos.

"É uma boa notícia para Portugal. Em momentos difíceis como os que temos, é muito importante também percebermos que temos criatividade, engenho, arte e pessoas capazes de fazer coisas interessantes e reconhecidas como tal a nível global", disse o diplomata.

No almoço na residência do embaixador em Washington esteve também o presidente do júri do Pritzker, Lord Palumbo, além de familiares do arquiteto portuense, entre os quais o ex-procurador José Souto de Moura.

Esta noite, a partir das 18:00 horas de Washington (23:00 horas de Lisboa), são esperados cerca de 400 convidados para a cerimónia de gala de entrega daquele que é considerado o mais alto galardão da arquitectura internacional.

No valor de 100 mil dólares, o prémio Pritzer foi criado em 1979 por Jay Pritzker e a sua mulher Cindy, através da sua Fundação Hyatt, e já distinguiu oito arquitectos norte-americanos e 28 de 10 outros países, incluindo o também português Siza Vieira, em 1992.