EUA

Spotify processado por usar músicas sem licença

Spotify processado por usar músicas sem licença

A Wixen Music, empresa norte-americana responsável pelos direitos autorais de vários compositores e artistas de renome, como Janis Joplin e Neil Young, processou o Spotify, alegando que aquela plataforma de "streaming" fez uma apropriação indevida de canções sem a obtenção de qualquer tipo de licença.

De acordo com a revista norte-americana "The Hollywood Reporter", a empresa Wixen Music instaurou um processo no tribunal federal da Califórnia, do qual constam acusações como a utilização de canções como "Free Fallin'", de Tom Petty, e "Light My Fire", dos The Doors, sem pagamento prévio das licenças. Ainda no contexto do processo, a Wixen Music pede como indemnização 1,6 milhões de dólares, cerca de 1,3 milhões de euros.

A "The Hollywood Reporter" adianta, ainda, outros casos de alegada falta de pagamento de licenças pela empresa Spotify que ocorreram em maio do ano passado, na sequência dos quais a plataforma de "streaming" terá chegado a um acordo de 43 milhões de dólares com os cantores David Lowery e Melissa Ferrick.

O Spotify tem estado envolvido noutras polémicas, como é o caso dos royalties. Geoff Barrow, baixista dos Portishead fez uma publicação no Twitter que demonstra algum descontentamento face aos valores pagos por aquela plataforma de "streaming" pela utilização legal e autorizada das músicas.

O Spotify tem mais de 140 milhões de utilizadores ativos em todo o mundo, que incluem 60 milhões subscritores pagos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG