Fotografia

Susan Leurs capta a dor das vítimas de bullying e o arrependimento dos agressores

Susan Leurs capta a dor das vítimas de bullying e o arrependimento dos agressores

Fotógrafa e professora apontou os focos ao tema do bullying nas escolas. Desde 2016 que capta as vítimas e os agressores.

O rastilho foi a história de Tharukshan, um vizinho da fotógrafa holandesa, em Heerlen, no norte do país. O jovem de 15 anos decidiu pôr um ponto final na própria vida depois de ser consecutivamente agredido e vaiado na escola pelos colegas. "Não aguentou mais. Ninguém aguenta ser maltratado".

Susan Leurs partilha que ela também foi vítima de bullying na infância e na juventude. Agora, usou o talento e, através de apelos nas redes sociais, conseguiu juntar desde 2016 mais de 200 caras de vítimas e de agressores. Formando, deste modo, o projeto Pesten (palavra holandesa para bullying). Um projeto onde cabe um português.

"Não se consegue, entre os rostos, discernir quem é a vítima e quem é o agressor", conta a artista ao JN numa entrevista via WhatsApp.

O projeto culminou em exposições em Maastricht, Nova Iorque e, agora, em Paris. Pela iniciativa, Leurs foi premiada no seu país. "Este é um projeto em progresso", assume a fotógrafa. Seguem-se mostras noutras galerias do Mundo.

Outro motor de incentivo a Pesten é a história do irmão de Susan Leurs: "O meu irmão é esquizofrénico, viveu com o bullying toda a vida. Está tudo bem em não estar tudo bem". Admitindo tratar-se de um caminho difícil, a autora sublinha que o "respeito deve ser ensinado".

Como professora, Leurs não se cinge aos conteúdos programáticos. "Tento ir além do que tenho de ensinar. É preciso dar mais, pensar os assuntos relevantes da sociedade."

PUB

"Em cada rosto que capto há uma história. Das vítimas de bullying e dos agressores. Das vítimas capto a insegurança, a dor. Dos agressores, felizmente, o arrependimento."

O trabalho de Susan Leurs pode ser seguido na conta do Instagram da autora.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG