Música

​​​​​​​The Black Mamba vencem o Festival da Canção e rumam à Eurovisão

​​​​​​​The Black Mamba vencem o Festival da Canção e rumam à Eurovisão

Os The Black Mamba venceram a final da 55ª edição do Festival da Canção 2021. A música "Love Is On My Side" irá representar Portugal no Festival da Eurovisão 2020, em Roterdão.

Das dez canções em concurso na final da 55ª edição do Festival da Canção, "Love Is On My Side", dos The Black Mamba, foi a escolhida para representar Portugal no 65º Festival Eurovisão da Canção, que se realiza em maio, em Roterdão, nos Países Baixos. A banda acabou empatada com Carolina Deslandes no concurso transmitido na noite deste sábado pela RTP com 20 pontos, mas prevaleceu o voto do público, que deu o triunfo ao grupo do vocalista Tatanka.

A produção da RTP foi transmitida em direto esta noite de sábado, a partir dos estúdios de Lisboa, que, ao contrário de anos anteriores, não teve público devido à pandemia. No entanto, a estação pública alcançou um recorde de mais de 70 mil telefonemas.

Nas duas semifinais, que decorreram no dia 21 de fevereiro e 6 de março, foram apurados os temas "Saudade", de Romeu Bairos e Karetus, "Joana do Mar", de Joana Alegre, "Dia Lindo", de Fábia Maia, "Na mais profunda saudade", de Hélder Moutinho e Valéria, "Por Um Triz", de Carolina Deslandes, "Dancing in the Stars", de Neev, "Não Vou Ficar", de Pedro Gonçalves, "Contramão", de Filipe Melo e Sara Afonso, "Volte-Face", de Pedro da Linha e Eu.Clides, e "Love is on my side", de Tatanka e The Black Mamba.

Pelo palco passaram também vários convidados com atuações em homenagem a Carlos do Carmo, pela participação do fadista no Festival da Canção de 1976 no qual interpretou todos os temas, e aos álbuns "Mudam-se os Tempos Mudam-se as Vontades", de José Mário Branco, "Cantigas do Maio" de José Afonso e "Os Sobreviventes" de Sérgio Godinho, gravados há 50 anos.

PUB

Ricardo Ribeiro, Ana Moura e Camané juntaram-se ao trio que acompanhava Carlos do Carmo, liderado pelo guitarrista José Manuel Neto. Também Dino D' Santiago interpretou uma canção do fadista.

A 55ª edição do Festival da Canção foi também política, destacando-se pela reabertura da Cultura, abordada durante a opinião dos júris e do vocalista de "Saudade", que mostrou a frase atrás do casaco "não vires costas à Cultura".

Minutos antes de entrar no ar, Filomena Cautela garantiu que ia ser "uma grande noite, extraordinárias canções e homenagens incríveis". Já Vasco Palmeirim afirmou que é "uma vitória estar aqui é importante esta edição num contexto tão complicado na pandemia o palco é importante para os artistas que é onde eles gostam de estar".

Já para abrir o Festival da Canção, os apresentadores Filomena Cautela, Vasco Palmeirim e Inês Lopes Gonçalves fizeram as honras com um playback da música "P'ró Boneco", que já está viral nas redes sociais com milhares de partilhas.

Além da atuação dos apresentadores, destaque no online também para o guarda-roupa, sobretudo para vestido de Carolina Deslandes que foi o mais comentado da noite e também o mais criticado. O conceito é de Mário Carvalho e o styling de Trocades.

Ao JN, Mário Carvalho revelou que Carolina Deslandes queria "algo clássico" e, por isso, projetou "era algo do presente a pensar no passado", um "hoodie" e um vestido de gala.

"Tinha feito já um festival e não queria repetir, mas quando ouvi esta canção disse que precisava de fazer parte disto. A letra diz-me o mundo, é algo muito pessoal. Disse-lhe que queria fazer parte disto e a Carolina [Deslandes] disse-me que não havia assim tanta gente que a quisesse vestir. [...] Projetei um hoodie e um vestido de gala. [...] Há uma versão preta mais dramática, impactante, mas esta é mais confortável", afirmou.

"Acho importante ressalvar que me é verdadeiramente indiferente se gostam ou não do vestido, o que me importa é que a Carolina [Deslandes] goste e que a história seja contada a par com a música", acrescentou.

As semifinais da 65ª edição do festival Eurovisão da Canção estão marcadas para os dias 18 e 20 de maio e a final para o dia 22 do mesmo mês.

Portugal participou no Festival Eurovisão da Canção pela primeira vez em 1964, tendo, entretanto, falhado cinco edições, em 1970, 2000, 2002, 2013 e 2016.

A música "Medo de Sentir", interpretada por Elisa e composta por Marta Carvalho, venceu em 2020 o Festival da Canção e deveria ter representado Portugal no Festival Eurovisão da Canção, que estava previsto para os Países Baixos, mas que foi adiado um ano devido à pandemia da covid-19.

Em 2021, não há risco de o concurso, que reúne representantes de 41 países, não acontecer, visto que os concorrentes vão gravar as atuações nos seus países.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG