O Jogo ao Vivo

Cultura

UHF sem maquilhagem

Os UHF lançam, amanhã, o duplo CD e DVD "Absolutamente ao vivo", que regista um concerto no Coliseu de Lisboa, em 2006. "Um espectáculo mágico que está transposto tal como aconteceu", diz António Manuel Ribeiro.

No total são apresentados 26 temas (27 no DVD) que abrangem diferentes fases da história do grupo. Entre eles estão canções marcantes como "Rua do Carmo", "Cavalos de corrida" ou "Matas-me com o teu olhar" .

"Ao longo deste tempo tudo o que construímos foi um público a quem demos canções onde esse mesmo público se revê", diz o líder da banda que, no ano passado, assinalou três décadas de existência de existência. Mas a data, garante, nada tem a ver com este lançamento dos dois suportes musicais.

"Isso não foi programado. As coisas foram acontecendo de uma forma bastante tranquila. Aliás, nunca percebi por que razão quando se grava um espectáculo se acaba por lançar o DVD logo a seguir. Por mim, gostei de ter este tempo e esta distância entre o que fizemos e o que editamos. Penso que assim o tempo de estúdio é mais pacífico e permite fazer um bom trabalho".

A metodologia utilizada na edição deste duplo álbum e DVD assenta na veracidade entre o que aconteceu na altura em palco e o que agora é dado a ouvir e ver, três anos passados.

"Chamamos "Absolutamente ao vivo" por que, quer o disco quer o DVD, não têm maquilhagem sonora de estúdio. Não houve rectificação, retoque ou regravação de qualquer tema tocado no Coliseu. Por isso mesmo é que acabamos por retirar quatro canções que não estavam bem. O resto está tudo lá e isto inclui as virtudes dos músicos e até alguns defeitos".

Confrontado com o facto de , no início da carreira , ter assumido que um a das suas influências musicais eram os Doors e o seu vocalista Jim Morison, e tendo em conta que "Absolutamente ao vivo", remete para um disco histórico dos "Doors", "Absolutely live", António Manuel Ribeiro garante que uma coisa nada tem a ver com a outra.

PUB

"Isso é curioso e já sei que me vão colocar muitas vezes essa questão. Esse assunto colou-se-me à pele logo no início dos UHF. Talvez porque eu usasse calças de cabedal, cabelo comprido, camisas brancas, tal como o Jim Morrison. Depois, numa entrevista publicada na altura, ao falar das minhas influências, citei os Doors. Desde aí o rótulo colou-se. Mas este "Absolutamente ao vivo" não tem nada a ver com as minhas influências musicais. Quer apenas dizer o que já expliquei: que não fomos para estúdio fazer cosmética que, hoje em dia, a tecnologia digital permite que se faça".

O alinhamento do espectáculo que agora dá origem ao DVD e ao CD teve por base trabalhos como "Há rock no cais" , de 2005, "mas a viagem é feita pelos nossos grandes sucessos".

Quando fala da longevidade dos UHF, António Manuel Ribeiro diz que ela assenta na autenticidade e no profissionalismo com que o projecto foi encarado desde o início.

"Acho que a autenticidade sempre perdura. Às vezes, o fenómeno da moda é que mata projectos que, num primeiro momento, foram elevados aos píncaros.Sempre disse que os UHF estavam do lado de fora da moda. Tudo isto é extremamente pragmático. Os UHF foram construindo algo que passou para além deles. E,ao olhar para trás, percebo que todos estes anos me ajudaram a evoluir enquanto compositor".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG