O Jogo ao Vivo

Artes

União Audiovisual apoia 250 famílias por mês, quase metade em Lisboa

União Audiovisual apoia 250 famílias por mês, quase metade em Lisboa

Cerca de 250 famílias estão a receber apoio mensal da União Audiovisual (UA), o grupo informal criado em contexto de pandemia para ajudar trabalhadores do setor da Cultura, disse um dos elementos, Ricardo Queluz.

Este grupo de entreajuda foi criado em março, quando a atividade cultural ficou paralisada por causa da covid-19, e tem vindo a alargar o âmbito de ação, contando atualmente com quase 20 pontos fixos de recolha de bens alimentares no continente e nos Açores.

Segundo Ricardo Queluz, estão a ser distribuídos mensalmente cabazes alimentares a cerca de 250 famílias, dos quais 110 são para pedidos de apoio na região de Lisboa.

"Temos muito mais famílias agora em Lisboa do que em julho", contou.

Em julho, Ricardo Queiroz contava à agência Lusa que a UA estava a apoiar, em todo o país, entre 150 a 160 pessoas por semana.

As recolhas de bens alimentares eram feitas semanalmente, junto de supermercados e em alguns pontos com donativos, mas agora existem pontos fixos - quase vinte -, espalhados pelo país, incluindo em Ponta Delgada, nos Açores.

Entre os profissionais apoiados "há sócios-gerentes que ainda não tiveram apoio, trabalhadores independentes que tiverem apoio em junho e agora não têm, há uns que tiveram agora e que não tiveram no início [da pandemia], e há uns que ainda não conseguiram ter nada" de apoios sociais anunciados pelo Governo, elencou Ricardo Queluz.

PUB

A União Audiovisual está a apoiar desde técnicos de som, trabalhadores de espetáculo, artistas de teatro, cabeleireiras de programas de televisão e de cinema.

"Estamos a falar de tudo o que esteja dentro do audiovisual" e cujo trabalho foi afetado, por ter sido cancelado, suspenso, adiado, por causa das medidas restritivas para conter a pandemia da covid-19.

Atualmente, existem pontos de recolha de alimentos em Évora, Aljezur, Faro, Olhão, Ponta Delgada, Coimbra, Lisboa, Queluz, Amadora, Pinhal Novo, Montijo, Almada, Feijó, Corroios, Caldas da Rainha, Peniche e Porto.

Além da recolha regular de bens alimentares nestes pontos fixos ou em espetáculos que se associam à UA, têm acontecido ações esporádicas de apoio aos profissionais.

Uma delas, que arranca hoje, é o lançamento de uma plataforma 'online', temporária, de venda de produtos de 'merchandising' de artistas e de festivais e outros eventos marcados para este ano e que não aconteceram.

Na plataforma www.uncancel2020.pt estão disponíveis para venda mais de 2.500 artigos de bandas como Da Weasel e Um Corpo Estranho, de festivais como Rock in Rio, Alive e Paredes de Coura, e de marcas como a Worten e a Super Bock.

A iniciativa foi lançada pela agência Stream and Tough Guy, os artigos estarão à venda até 15 de dezembro e todas as receitas serão convertidas em cartões alimentares a distribuir através da União Audiovisual.

Esta semana, a UA também divulgou nas redes sociais um curto documentário que dá voz a músicos, mas sobretudo a técnicos e profissionais que habitualmente trabalham nos bastidores e são praticamente invisíveis na concretização das atividades culturais.

Quem quiser ajudar, ou precisar de ajuda, pode contactar a União Audiovisual pela Internet, a partir da página uniaoaudiovisual.pt.

Além da União Audiovisual, também a companhia de teatro Palco 13, com sede em Cascais, lançou uma campanha de angariação de bens alimentares e donativos para apoiar profissionais do setor, intitulada "Iniciativa nosSOS", que foi concluída no final de outubro.

Segundo informação divulgada na página oficial do Facebook, foram distribuídos 263 cabazes ao longo de seis meses: "Esta iniciativa esgotou o valor dos donativos que foram feitos ao longo destes últimos meses e por essa razão, termina também esta ação, que só foi possível graças à generosidade e união de todos", lê-se na página do Palco 13.

Outras Notícias