Exclusivo

Vão ouvir-se órgãos em todo o Grande Porto

Vão ouvir-se órgãos em todo o Grande Porto

Há um património riquíssimo e largamente desconhecido na Área Metropolitana do Porto. Quantos saberão que há mais de uma centena de órgãos de tubo espalhados pelas principais igrejas da região? Que só no Porto há 34 construídos entre o século XVIII e a primeira metade do século XX? E que alguns deles são verdadeiras joias trabalhadas pelos mais talentosos organeiros de sempre? Para dar visibilidade a estas peças - e audição à música que produzem -, decorre até 23 de outubro o Festival Internacional de Órgão e Música Sacra, que se realiza em 24 igrejas do Porto, Maia, Valongo e Gondomar.

Serão 42 concertos protagonizados por 24 organistas nacionais e estrangeiros, três maestros, dois coros, um ensemble de música antiga e uma orquestra sinfónica. As entradas são gratuitas, mas nalguns casos será necessário fazer reserva. Estarão em vigor todas as normas da DGS relativas à pandemia, como o distanciamento e a higienização.

"Há um habitat único no Grande Porto onde é possível fazer de tudo. Em mais nenhum lugar do Mundo há tamanha diversidade de órgãos numa só região", diz Filipe Veríssimo, diretor do festival e organista titular da Igreja da Lapa, no Porto. "Temos órgãos históricos e outros mais recentes, onde é possível tocar música barroca, romântica ou contemporânea. Muitos foram construídos no estrangeiro, mas há também órgãos portugueses que têm uma identidade própria."

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG