Imagens

Últimas

Dia 83

Resgate de tropas de Mariupol requer "delicadeza e tempo"

Vladimir Putin não está satisfeito com o avanço da guerra na Ucrânia, particularmente no Donbass. Segundo fontes ocidentais, as decisões estão agora a ser tomadas diretamente pelo líder russo. Entretanto, Volodymyr Zelensky saudou a retirada de 264 militares feridos da fábrica Azovstal. Ainda assim, Kiev reconheceu que as negociações de paz com Moscovo estão suspensas porque "o objetivo estratégico dos russos é tudo ou nada".

Dia 78

Zelensky disponível para falar com Putin, mas sem ultimatos

A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, considera a Rússia " a ameaça mais direta" à ordem mundial. Uma declaração feita no dia em que, da Finlândia, paredes-meias e frágeis com o território russo, chegam notícias de um plano de adesão à NATO. No terreno, novidades em Kharkiv: forças ucranianas forçaram o invasor a recuar. Em Mariupol, foi mais um dia de intensos combates na fábrica de aço Azovstal.

Mundo

Rússia ainda quer Kiev e terá roubado 500 mil toneladas de cereais

As forças ucranianas retomaram o controlo de aldeias na região de Kharkiv, assegurou Volodymyr Zelensky, que voltou a pedir mais armas para travar o cerco a Mariupol e salvar civis e militares. Dos Estados Unidos, chega um pacote de 40 mil milhões de dólares (38 mil milhões de euros) para ajudar Kiev a levantar-se da guerra. Ao final do dia, a Ucrânia propôs uma troca de prisioneiros russos pelos soldados feridos ainda retidos na Azovstal. Quem comprar cereais à Rússia pode estar a comprar grãos roubados à Ucrânia, alerta Kiev. O minuto a minuto do JN.

Guerra

Rússia mata 60 pessoas numa escola e 170 civis de Mariupol a salvo

Depois de, no sábado, terem sido retirados todas as mulheres, crianças e idosos que estavam presos na fábrica de aço Azovstal, em Mariupol, chega a notícia de que a Rússia bombardeou uma escola em Lugansk, matando duas pessoas. Acredita-se, porém, que haja mais 60 mortos entre os escombros. Zelensky fala hoje com o G7 sobre a situação da guerra e os embaixadores dos Estados-membros discutem a nova ronda de sanções contra a Rússia. Entretanto, 170 pessoas retiradas de Mariupol chegaram em segurança a Zaporíjia. Siga ao minuto o 74.º dia de guerra no JN.