Sistema alimentar tem de combinar saúde, ambiente e economia

Sistema alimentar tem de combinar saúde, ambiente e economia
Produzido por:

Conferência da Missão Continente vai divulgar na próxima quarta-feira, em Lisboa, um relatório encomendado pela Presidência do Conselho da UE sobre como alterar o sistema de produção alimentar e preservar o equilíbrio entre saúde, economia e ambiente. Um desafio do século XXI.

Um sistema alimentar capaz de integrar as preocupações com a saúde, o meio ambiente e a economia. Será isto possível ou tudo não passará de uma miragem? É para tentar obter respostas a perguntas como esta que se vai realizar a IV Conferência "Portugal Saudável", no dia 10, no Capitólio (Parque Mayer), em Lisboa.

A iniciativa, que decorre no âmbito da Missão Continente, será subordinada ao tema "melhorar o nosso sistema alimentar" e visa salientar a importância de começarmos a pensar de uma forma integrada a alimentação diária. Com a aceleração crescente da vida moderna , sobretudo nas grandes cidades, é urgente pôr em prática hábitos alimentares que zelem pela nossa saúde e bem-estar.

O relatório intitulado "Connecting food systems for co-benefits: how can food systems combine diet-related health with environmental and economic policy goals?", foi encomendado pela Presidência do Conselho da União Europeia e será o ponto de partida para este debate. O encontro é aberto ao público, com entrada gratuita e as inscrições podem realizar-se em www.missao.continent.pt.

A conferência tem como convidada principal para apresentar este documento Corinna Hawkes, diretora do Centre for Food Policy da City University of London. Este relatório fala da "forma como os sistemas alimentares podem combinar a saúde e a alimentação saudável com as metas ambientais e económicas, através de uma abordagem integrada que é benéfica para todos os setores, governos e comunidades".

O encontro contará com um ciclo de conversas "À Roda da Alimentação". O painel de oradores irá abordar, de uma forma simples e transparente, diversos temas relacionados com a cadeia alimentar, desde a origem dos produtos à sua distribuição. O objetivo expresso do debate é ajudar a população portuguesa a melhorar a sua alimentação, bem como o seu estilo de vida.

O ponto de partida para este diálogo é a constatação de alguns dados respeitantes à saúde dos portugueses. Os problemas a seguir enumerados são o espelho dos maus hábitos alimentares da nossa população. Enraizados há muito, estes costumes levam-nos, segundo o relatório agora elaborado, a um diagnóstico clínico em que 13% da população é afetada pela diabetes, 40% dos adultos sofrem de hipertensão, 60% dos portugueses são obesos ou vivem em risco de obesidade, 30% das crianças têm excesso de peso e 10% são obesas, e 15% dos idosos estão em risco de desnutrição.
Ora, perante este cenário, os especialistas na matéria não têm dúvidas de que é "fundamental reorientar o sistema alimentar de forma a obtermos benefícios para a saúde, a partir da disponibilização de alimentos saudáveis a preços acessíveis, fomentando economias locais e nacionais, com recurso a métodos de produção ambientalmente sustentáveis".

A conferência irá decorrer ao longo de toda a manhã, sendo uma parte dedicada ao debate de diferentes temáticas sobre o sistema alimentar - da produção ao consumo dos alimentos - com o propósito de conduzir o público por uma viagem em várias "rodas". Assim, na "Roda da Origem" irão dar-se a conhecer questões relacionadas com a sustentabilidade dos processos produtivos do ponto de vista ambiental e económico; a "Roda do Saber" é dedicada às preocupações com a saúde e a nutrição, sendo abordados os hábitos alimentares, o impacto do sal, da gordura e do açúcar para a saúde; "À Roda da Cozinha" sublinha as preocupações que devemos ter no momento de preparar os alimentos; já "À Roda do dia-a-dia" leva à partilha de experiências na adoção de hábitos e estilos de vida saudáveis; enquanto na "Roda do Compromisso" falar-se-á do compromisso do Continente na resposta ao consumidor cada vez mais consciente, da promoção de hábitos alimentares saudáveis, bem como das boas práticas junto dos produtores.

Ao longo das últimas edições do "Portugal Saudável", a Missão Continente tem vindo a reforçar o debate público sobre a importância da alimentação saudável e do seu impacto na sustentabilidade económica, social e cultural do país. Desta vez não vai ser diferente. Para tal, foram convidadas figuras relevantes nas mais diversas áreas, da investigação, nutrição, restauração, entretenimento e política, que irão partilhar os seus conhecimentos e experiências.