Futebol

Sporting e F. C. Porto empatam em Alvalade

Sporting e F. C. Porto empatam em Alvalade

Sporting e F. C. Porto empataram (2-2), este sábado no Estádio de Alvalade, na quarta jornada da Liga, num primeiro clássico da temporada marcado por muitas estreias, emoções fortes e incerteza até ao fim.

Após os ajustes do mercado de transferências e a pausa para os compromissos das seleções, a expectativa recaía nas novidades que o duelo entre leões e dragões poderia trazer.

Assim, o Sporting orientado por Rúben Amorim entrou com seis caras novas em relação à época passada -- Adán, Feddal, Porro, Pedro Gonçalves, João Palhinha e Nuno Santos -, enquanto o F. C. Porto, de Sérgio Conceição, foi mais contido e apostou de início apenas no reforço Zaidu.

Ainda o jogo não tinha completado um minuto e já Adán brilhava com uma defesa difícil para travar um livre traiçoeiro de Sérgio Oliveira. Os campeões nacionais denotaram grande intensidade e personalidade nos primeiros minutos, empurrando os anfitriões para a sua defesa, mas foi precisamente contra essa tendência que o Sporting acabou por inaugurar o marcador.

Depois de ver Marchesín negar o golo a Matheus Nunes, a equipa leonina chegou mesmo à vantagem na jogada seguinte, aos oito minutos, com Nuno Santos a finalizar de primeira e em força ao segundo poste, sem que o guardião portista conseguisse evitar o tiro. O golo foi um bálsamo de tranquilidade para os jovens leões, que passaram a exibir um futebol muito prático e objetivo em saídas rápidas para o ataque.

No entanto, o F. C. Porto não se desuniu perante a adversidade e Uribe e Luís Diaz estiveram ambos perto de marcar o golo que chegaria somente aos 25 minutos. Ao cruzamento perfeito de Zaidu, Uribe surgiu a rematar de primeira de pé esquerdo no coração da área, assinando o empate com um golo vistoso.

A igualdade serenou um pouco o ritmo do encontro, que voltaria a atingir um pico em cima do intervalo. Primeiro, com o 2-1 para o F. C. Porto, por Corona, que aproveitou a sobra de um lance individual de Luís Diaz e mostrou arte e engenho para enganar Adán.

Depois, já nos descontos, o árbitro Luís Godinho marcou grande penalidade sobre Pedro Gonçalves e expulsou Zaidu, com segundo amarelo, mas reverteu as decisões, alertado pelo VAR, após ver as imagens televisivas junto ao campo.

Na sequência desta decisão, o técnico leonino, Rúben Amorim, foi expulso do banco devido a protestos, surgindo logo a seguir o apito para o intervalo.

Em vantagem, o F. C. Porto mostrou-se mais frio e competente na gestão dos espaços e não permitiu tantas investidas ao Sporting como havia consentido durante o primeiro tempo. O Sporting era agora uma equipa menos perigosa, apesar de até ter aparentemente mais posse de bola, só que inconsequente e inofensiva.

Da bancada, Rúben Amorim ia sofrendo e gritando para o campo sem sinal de resposta. Contudo, a melhor resposta deu-se logo aos 56 minutos com a entrada de Vietto, que viria a revelar-se decisiva para as contas do desafio, já que foi o avançado argentino a marcar o golo do empate aos 87 minutos, na sequência de uma jogada de insistência do ataque leonino.

O clássico teve ainda espaço para as estreias de Toni Martinez, Felipe Anderson e Nanu entre os dragões, bem como de João Mário pelo Sporting. Nos derradeiros minutos, o jogo partiu-se por completo e podia ter caído a favor de qualquer uma das equipas, mas o equilíbrio acabou por ser a nota dominante e prevaleceu, com justiça, no empate final.

Com este resultado, Sporting e F. C. Porto somam ambos sete pontos ao fim de quatro jornadas, embora os leões tenham um jogo em atraso. Na frente da I Liga continua o líder Benfica, com nove pontos, que pode dilatar este domingo a vantagem na partida com o Rio Ave.

Veja o resumo do jogo:

Outras Notícias