Inglaterra

25 títulos depois, o renascimento de Mourinho em Londres?

25 títulos depois, o renascimento de Mourinho em Londres?

José Mourinho regressa a Inglaterra, desta vez para orientar o Tottenham. O "Special One", que já tem 25 títulos na carreira, estava sem clube há aproximadamente um ano. Procura agora relançar a carreira em Londres.

José Mourinho foi oficializado esta manhã como novo treinador do Tottenham, um dia depois do despedimento do técnico Mauricio Pochettino. O argentino orientava o Tottenham desde 2014 e conseguiu chegar à final da Champions na época passada. Daniel Levy, o presidente dos londrinos, justifica o despedimento de Pochettino com os resultados dececionantes desde o final da 2.ª volta da época passada. Este ano, o Tottenham encontra-se em 14.º lugar no campeonato com 14 pontos, 20 atrás do primeiro classificado, o Liverpool.

Como as coisas mudam no futebol... Quando o Tottenham se qualificou para a primeira final europeia da sua história, Pochettino era o herói e o salvador da pátria. Seis meses depois, é despedido do clube (com uma marca de 159 vitórias em 293 jogos), referindo que não se importava de regressar a Espanha.

O eleito para orientar os Hotspurs foi José Mourinho, que chega agora com dois objetivos: o de relançar a sua carreira e reerguer a equipa. Mourinho estava sem clube desde dezembro do ano passado, quando foi despedido do Manchester United. Foi em Old Trafford que começou o período descendente na carreira do técnico português. Apesar de ter vencido três títulos na primeira época enquanto treinador dos red devils, o restante ano e meio ficou marcado por resultados menos positivos.

Segundo relatam em Inglaterra, José Mourinho vai receber cerca de 15 milhões de libras por ano, o que ronda aproximadamente 17.5 milhões de euros.

Mourinho subiu ao topo do futebol europeu no F.C. Porto, conquistando o maior feito da história do clube, uma Liga dos Campeões, depois de ter vencido uma Taça UEFA. O trabalho nos dragões fez com que ganhasse inúmeros fãs pelo mundo fora. Sempre foi um treinador confiante e com uma inteligência tática acima da média, como revelam Costinha e Vitor Baía.

Mourinho chegou ao Chelsea com o estatuto de vencedor e entitulou-se como o "Special One". Venceu duas Premier League, uma FA Cup, duas Taças da Liga e uma Supertaça Inglesa. Os Blues não eram campeões há 50 anos e Mourinho não só o fez por duas vezes, como ainda conquistou mais quatro troféus. No início da época de 2007/2008, acordou com Abramovich a saída do clube por mútuo acordo. Supostamente, a relação entre ambos já não era a melhor desde a época transata, porque Shevchenko nem sempre era opção para Mourinho, o que irritava o presidente do Chelsea.

No Internazionale, já em Itália, José Mourinho também fez história e na primeira conferência de imprensa realçou que quem era especial era o clube e não ele. Na realidade, elevou o nome do Inter bem alto e venceu duas Serie A, uma Liga dos Campeões, uma Taça e Supertaça de Itália. Completou ainda o "triplete" (vencer campeonato, taça e competição europeia) em 2009/2010. Nesta altura, o importante para Mourinho eram os resultados, nem que tivesse que marcar um golo e defender com 10 homens até ao final da partida. A conquista da Liga dos Campeões com os nerazurri é caricata pela meia-final, em que o Inter elimina o Barcelona, com Thiago Motta a ser expulso aos 28 minutos da segunda mão, e no final do jogo até o avançado Eto'o defendia, ocupando a posição de lateral esquerdo.

Em 2010, teve toda a confiança de Florentino Pérez e rumou ao Real Madrid, onde estava Cristiano Ronaldo. Um ano depois, foi nomeado diretor desportivo, para além de treinador. Venceu uma Liga, uma Taça do Rei, que o Real não vencia há 17 anos, e uma Supertaça Espanhola. É natural que não tenha vencido por ter coincidido com os anos de ouro do Barcelona de Pep Guardiola. Apesar disso, foi em Espanha que se tornou no primeiro treinador a conquistar três troféus em quatro países diferentes.

Em 2013, regressou ao Chelsea com um contrato válido por quatro temporadas. Conquistou novamente a Premier League e ainda venceu uma Taça da Liga inglesa, ambos em 2014/2015. Em dezembro de 2015, voltou a ser despedido por se encontrar em 16º no campeonato.

O destino seguinte foi o Manchester United. Os adeptos estavam esperançosos no regresso aos títulos com a chegada do técnico português. Na primeira época, venceu a Supertaça Inglesa, a Taça da Liga Inglesa e a Liga Europa e tornou-se no primeiro treinador a vencer duas Liga dos Campeões e duas Liga Europa. A partir da época seguinte, o Manchester United começou a descer de rendimento e Mourinho foi contestado, depois de algumas desavenças com jogadores do plantel e resultados menos positivos. Acabou por ser despedido em dezembro de 2018, dando o lugar a Solskjaer.

11 meses depois, vai voltar a treinar um clube de Inglaterra e resta agora saber como se preparou para este desafio. Existe a curiosidade para ver se evoluiu ou revolucionou ideias, se alterou o modelo de jogo e qual a prioridade nesta primeira época ao serviço do clube.