O Jogo ao Vivo

Hóquei em patins

AD Valongo contra a violência defende respeito pelas regras de lotação dos pavilhões

AD Valongo contra a violência defende respeito pelas regras de lotação dos pavilhões

Em comunicado a Associação Desportiva de Valongo rejeita as acusações de sobrelotação do pavilhão, no embate contra o Sporting, e condena todo o tipo de violência como as cenas que ocorreram no jogo da primeira jornada do campeonato, envolvendo adeptos da equipa valonguense e do emblema verde e branco.

As cenas passadas no final do embate da primeira jornada não são para os mais impressionáveis, onde houve acusações da presença de martelos e cães a servirem como forma de promover a violência por parte dos adeptos envolvidos em confrontos, entre apoiantes dos dois clubes, mas a equipa nortenha veio apresentar a sua versão dos factos.

Primeiramente a AD Valongo fez questão de repudiar todo e qualquer tipo de agressões, seja qual for o motivo, mas salientou que houve provocações por parte de membros afetos ao Sporting durante toda a partida. A equipa de Valongo referiu ainda a inexistência de detenções por parte das autoridades, bem como o facto de não ter havido registo de feridos, nem assistência por parte de ambulâncias.

Os confrontos, que o emblema da zona Norte admite terem sucedido, aconteceram na zona destinada a elementos e staff leoninos, não inscritos na ficha de jogo, algo que os responsáveis garantem ter sido "prontamente sanados pelos elementos de segurança e elementos da AD Valongo".

Além destes pontos há a garantia de que foram cumpridas todas as normas quanto à lotação permitida nos pavilhões, remetendo a acusação para membros do Sporting que, segundo o comunicado, "quem estava a mais no pavilhão" foram membros do Sporting, "a quem não foi permitida a entrada, por não estar devidamente credenciado".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG