Tóquio2020

Adiamento dos Jogos Olímpica implica "sacrifícios e compromissos", diz COI

Adiamento dos Jogos Olímpica implica "sacrifícios e compromissos", diz COI

O presidente do Comité Olímpico Internacional, Thomas Bach, afirmou esta quarta-feira que o adiamento dos Jogos Olímpicos para 2021 implicará "sacrifícios e compromissos" de todos, nomeadamente atletas, federações e comités nacionais.

Durante uma conferência de imprensa por videoconferência, Bach anunciou a criação de um grupo de trabalho para avaliar as várias consequências do adiamento dos Jogos Olímpicos, decidido na terça-feira, o primeiro em tempo de paz desde a primeira edição dos Jogos da era moderna, em 1896.

Thomas Bach admitiu que o cancelamento dos Jogos "esteve em cima da mesa". "É óbvio que a anulação dos Jogos foi discutida e estudada, mas nunca foi uma prioridade, porque a nossa missão é organizar os Jogos e tornar reais os sonhos dos atletas", afirmou o alemão, que lidera o COI desde 2013.

Thomas Bach garantiu que os patrocinadores do evento "vão manter todos os seus direitos" na competição que vai decorrer em 2021.

Questionado sobre a aldeia olímpica, e o facto de muitos dos apartamentos já estarem vendidos, Thomas Baxhe referiu que essa "é uma das muitas perguntas às quais é preciso dar resposta".

Os Jogos Olímpicos e Paralímpicos Tóquio2020 foram adiados para 2021, devido à pandemia de covid-19, anunciaram na terça-feira o Comité Olímpico Internacional (COI) e o Comité Organizador dos Jogos, em comunicado.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG