Futebol

Adiantamento de receitas televisivas podem render até 50 milhões ao F. C. Porto

Adiantamento de receitas televisivas podem render até 50 milhões ao F. C. Porto

A SAD dos dragões encaixa 30 milhões e os outros 20 milhões de euros podem entrar nos cofres em janeiro do próximo ano.

A SAD do FC Porto encaixou esta segunda-feira 30 milhões de euros com uma nova emissão de obrigações pela Sagasta, envolvendo a cedência de receitas futuras de direitos televisivos. Para além deste valor, em janeiro podem entrar mais 20 milhões nos cofres portistas.

Em causa está a alteração aos termos e condições da operação de titularização de créditos denominada 'Dragon Finance n.º 1', que tem a Sagasta Finance - sociedade de titularização de créditos - como emitente, realizada em 24 de maio de 2018, e que teve como objeto a titularização dos créditos decorrentes do contrato de cessão de direitos de transmissão televisiva dos jogos no Estádio do Dragão, a contar para a primeira Liga, entre a SAD portista e a Altice, segundo o comunicado disponível na Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

O documento acrescenta que a operação de maio do ano passado permitiu um encaixe de 100 milhões de euros aos cofres dos "azuis e brancos" e a alteração anunciada esta segunda-feira "teve por objetivo a prorrogação da maturidade média prevista aplicável às obrigações titularizadas emitidas em 24 de maio de 2018".

Esta alteração implica a "correspondente emissão de obrigações de titularização adicionais pela Sagasta no montante de 30 milhões de euros adicionais na presente data e no montante máximo de 20 milhões de euros adicionais em janeiro de 2020, a título de acréscimo do preço de compra e venda dos créditos", especificou a SAD do FC Porto.