Violação

Advogado de mulher que acusa Neymar deixa o caso e acusa-a de mentir

Advogado de mulher que acusa Neymar deixa o caso e acusa-a de mentir

José Edgar da Cunha Bueno Filho, advogado da mulher que acusa Neymar de violação, decidiu abandonar o caso, depois de dizer que a alegada vítima o procurou para denunciar o atleta por agressão e não por violação. No entanto, a nova advogada da vítima divulgou mensagens que desmentem Edgar.

O advogado contratado pela mulher que acusa Neymar de violação decidiu abandonar o caso. As versões diferentes apresentadas pela alegada vítima levaram José Edgar a tomar esta decisão. Através de uma carta, o escritório Fernandes e Abreu, do qual o causídico faz parte, informou que "a relação mantida com Neymar foi consensual, mas que durante o ato ele tornou-se violento, agredindo-a, tendo sido esse o facto típico central (agressão) pelo qual ele deveria ser responsabilizado cível e criminalmente".

PUB

O advogado chegou mesmo a reunir-se com os representantes do jogador para chegar a um acordo em relação à agressão, mas todas as possibilidades foram descartadas levando, segundo o causídico, a uma "vingança" da vítima.

"Por raiva ou vingança, a senhora relatou no boletim de ocorrência factos em desacordo com a realidade que manifestou ao advogado. Ou seja, foi à polícia relatar que tinha sido vítima de violação quando, na realidade, o que nos foi demonstrado e retificado várias vezes, é que teria sido vítima de agressão. A alteração da verdade dos factos é incompatível com os princípios da conduta dos membros do nosso escritório", pode ler-se ainda na carta.

Nova advogada desmente escritório

Após as acusações, Yasmin Pastore Abdala, atual advogada da alegada vítima, desmentiu a versão do escritório de advogados e apresentou uma nova versão dos factos. Também ao "Jornal Nacional" da TV Globo, a defensora jurídica mostrou uma troca de mensagens entre a mulher e o antigo advogado, em que ela fala mesmo que foi vítima de violação.

"Por que é que não divulgamos logo na imprensa para acabar com a carreira dele? Ele espancou-me e violou-me. Estava bêbado e drogado. É de má índole, viciado em drogas, um agressor e precisa de ser internado. Eu devia-o ter matado enquanto tive oportunidade", terá escrito a vítima. José Edgar pediu "calma" e garantiu que o atleta seria responsabilizado.

Entretanto, um relatório médico feito seis dias depois do encontro com o jogador revelou que a mulher tem hematomas e indícios de stress pós-traumático. O site brasileiro UOL Esporte teve acesso ao documento e relata que há imagens que mostram hematomas nas nádegas e pernas da mulher.

Recorde-se que Neymar se viu envolvido este fim de semana num escândalo de violação. A alegada vítima apresentou uma queixa em São Paulo por factos ocorridos a 15 de maio, em Paris. A mulher acusou Neymar de estar "alcoolizado" e, com violência, "praticar uma relação sexual sem o consentimento da vítima".

Mediante a acusação, o jogador brasileiro publicou um vídeo nas redes sociais no qual revelou conversas que teve com a mulher, com vídeos e nudez à mistura, acusando-a de tentativa de extorsão. Esta segunda-feira, o vídeo foi eliminado e o jogador será investigado por divulgar fotos íntimas da mulher. A divulgação sem consentimento das partes envolvidas é crime, e a pena prevista pode ir até aos cinco anos de prisão. O caso está a ser investigado pela Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI), no Brasil.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG