O Jogo ao Vivo

Futebol

Águia lambe as feridas e dá a volta com goleada

Águia lambe as feridas e dá a volta com goleada

Golo de Beto espicaça encarnados que operam a reviravolta em poucos minutos e saem de Portimão com uma goleada por 5-1. Seferovic bisa pela sexta vez e já leva 18 golos no campeonato.

O Benfica reconquistou o terceiro lugar da Liga depois de golear o Portimonense (5-1), em solo algarvio. Um regresso aos triunfos expressivos, após o despiste frente ao Gil Vicente, e assente numa exibição competente, sobretudo devido ao dinamismo da segunda parte. Antes, as águias tinham revelado elevado volume de jogo, mas foram previsíveis e inofensivas no assalto à última barreira algarvia. Só depois de estarem a perder e de se sentirem feridas perante a possibilidade de novo desaire, arrepiaram caminho e simplificaram processos, principalmente na fase ofensiva que geraram a reviravolta.

Seferovic bisou pela sexta vez na Liga e ainda selou uma assistência. Mas foi a clarividência de Pizzi, de regresso à titularidade, e a entrada de Darwin - voltou aos golos - que se revelaram influentes no volte-face.

O Portimonense apostou nos contragolpes de Beto, que enfrentou muitas vezes e bem o mundo encarnado. Golpeou-o de forma felina e confirmou o motivo do interesse dos três grandes. É rápido, atrevido, desconcertante e fez sonhar a equipa. Os algarvios sentiram a reação do adversário, mas Paulo Sérgio também não foi feliz na substituição ao intervalo: a entrada de mais um defesa retirou eficácia ao setor.

O Benfica entrou pressionante e mudou-se para território algarvio na tentativa de desequilibrar. O volume de jogo ofensivo foi no entanto inconsequente perante um Portimonense organizado e com Beto a ameaçar as águias. A estratégia deu frutos e os encarnados pareciam em maus lençóis à beira do intervalo. Porém, reagiram de forma instantânea com Pizzi a concluir uma triangulação simples, mas mais rápida, mesmo em cima do intervalo.

Jorge Jesus lançou Darwin e o Benfica aproveitou a boleia anímica do empate para continuar numa onda de maior intensidade. O uruguaio ainda falhou a primeira abordagem, mas emendou a mão a seguir. A vencer e com mais espaço, Seferovic entrou em campo e abriu o caminho da goleada, que Everton selou na compensação.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG