Desporto

Alta velocidade no Dragão

Alta velocidade no Dragão

Acidentes, despistes, piões, acrobacias, raios laser, dança. Houve de tudo um pouco na estreia automobilística do Estádio do Dragão. Não encheu, mas quem comprou bilhete deu por bem empregue o dinheiro.

O primeiro dia das Corridas dos Campeões no Estádio do Dragão começou por ser saudado pela chuva, que deixou a pista propícia a acidentes, despistes e piões, tão apreciados pelos fãs da alta velocidade. E foi ao som dos rufos de tambores que foram dados os primeiros acordes a uma noite que uniu o espectáculo e o automobilismo. Não se registou casa cheia, mas, à medida que a noite foi caindo, as bancadas ficaram um bem mais compostas.

Os primeiros carros da ROC Portugal, os RX 150, não deram muita pica, pois aderiram bem ao piso molhado. Já os KTM X-Bow provocaram grande frenesim nas bancadas. Por duas razões: eram mais velozes e saiam mais vezes de pista. Contudo, o grande espectáculo da noite estava reservado para as exibições. Paulo Martinho deu as primeiras aceleradelas, ao volante de um Peugeot 205. Três piões por segundo levaram a assistência ao delírio com a perícia do piloto matosinhense.

Terry Grant levou ao Dragão um sem número de acrobacias. Primeiro, com um carro antigo sempre em movimento, fez piões, saiu para a pista, passeou por cima do veículo e ainda foi cumprimentar o público às bancadas. Não satisfeito, pegou num carro de ralis e percorreu o estádio em duas rodas.

A Michel Mouton coube fechar as exibições ao volante do Audi 4 que a celebrizou no mundo dos ralis. E apesar de ter deixado a competição há mais de 20 anos, os fãs não esquecerem a piloto francesa e brindaram-na com a maior ovação da noite. A noite encerrou com a ROC Lendas, a prova mais esperada do primeiro dia, ou não estivessem a correr grandes estrelas internacionais.

Quanto à competição, a Corrida dos Campeões de Portugal apurou três pilotos para a final ibérica, onde já se encontrava Armindo Araújo, capitão da equipa. A ROC Portugal foi ganha por Miguel Barbosa, vice-campeão de Todo-o-Terreno, que derrotou Filipe Albuquerque, piloto da A1 Grand Prix. José Pedro Fontes, vice-campeão de ralis em 2008, fez o terceiro tempo e vai estar no duelo com os espanhóis.

Outras Notícias