Tóquio 2020

"Ficar em quarto lugar é a coisa mais horrível da minha vida", diz Auriol Dongmo

Auriol Dongmo|

 foto Ben STANSALL / AFP

Auriol Dongmo|

 foto Ben STANSALL / AFP

A atleta portuguesa Auriol Dongmo ficou este domingo muito perto de conquistar uma medalha no concurso de lançamento do peso dos Jogos Olímpicos Tóquio 2020, terminando em quarto lugar na final da prova, ao lançar 19,57 metros.

A detentora dos recordes nacionais de Portugal (19,75 metros) e dos Camarões (18,37), lançou 19,29, 18,95 e 19,17, assegurando um lugar entre as oito finalistas, fase em que obteve 19,57, 19,45 e 19,45, ficando a apenas cinco centímetros da terceira classificada, a neozelandesa Valerie Adams (19,62), campeã em Pequim 2008 e Londres 2012 e prata no Rio 2016.

À frente da atleta natural dos Camarões, que se naturalizou portuguesa em 2019, além de Adams, ficou apenas a chinesa Lijiao Gong, campeã do mundo em 2017 e 2019, e nova campeã olímpica, com 20,58 metros, e a norte-americana Raven Saunders, medalha de prata, com 19,79.

Auriol Dongmo, campeã da Europa em pista coberta em 2021, chegou ao concurso olímpico com o quinto registo do ano, com o recorde nacional de 19,75 metros, alcançado em Huelva, em Espanha, em 03 de junho.

No Rio 2016, a lançadora foi 12.ª classificada, então ao serviço dos Camarões.

A portuguesa assumiu a tristeza, afirmando que o quarto lugar é a "coisa mais horrível" da sua vida.

"Dói-me muito, ficar em quarto lugar é a coisa mais horrível da minha vida", afirmou a campeã da Europa em pista coberta em 2021, na zona mista do Estádio Olímpico, após a final.

"Eu estava a sentir-me bem, mesmo no aquecimento e, depois, não sei o que se passou. Há coisas que não consigo explicar, porque eu estava bem, mesmo com calor, que estava igual para todas", explicou.

Devota de Fátima, Dongmo não fez, nem faz, promessas - "para mim não há promessas, não é cumprir se me der 'x', é a santificação do dia a dia" -, admitindo a tristeza com o desfecho da competição.

"Tudo o que acontece na nossa vida é porque Deus quer. Não posso ficar chateada com Deus, estou um bocadinho triste, com certeza, mas vai ser Ele que me vai dar forças para avançar", assegurou.