Voleibol

Benfica superioriza-se a Sporting no Pavilhão João Rocha

JN/Agências

O Benfica venceu o Sporting este domingo

Foto Gerardo Santos / Global Imagens

O Benfica superiorizou-se, este domingo, ao Sporting, no dérbi lisboeta de voleibol, por 3-1, em jogo da 12.ª jornada que deixa os encarnados na perseguição à liderança e os leões mais distantes do topo da classificação.

No Pavilhão João Rocha, em Lisboa, o Benfica venceu os seus três parciais por 20-25, permitindo o triunfo no terceiro set ao Sporting, por 26-24, insuficiente para vencer o jogo e subir na tabela, onde ocupa a quinta posição, com 23 pontos. Já as 'águias', são terceiras, com 30, atrás da líder invicta Fonte Bastardo, com 35, e do Esmoriz, com 31.

Os primeiros pontos do duelo até foram repartidos (6-6), até que o Benfica logrou uma margem de três pontos (7-10), um golpe duro para os leões, que não souberam reagir e viram o rival ampliar aos poucos essa vantagem, de uma forma confortável.

Fortes nos blocos, os encarnados fecharam o primeiro parcial com 20-25, perante uma equipa do Sporting incapaz de suster a supremacia da turma de Marcel Matz durante a partida, pautada pelas variações de jogo que baralharam a formação de José Coelho.

No segundo set, o ímpeto inicial do conjunto verde e branco parecia reequilibrar, de novo, o dérbi, mas, à semelhança do primeiro parcial, o Benfica voltou a alcançar uma boa vantagem no marcador (8-11), travando a reação contrária.

Erros sucessivos do Sporting, sobretudo na receção, aliados a pontos conquistados pelo Benfica, principalmente através de Tiago Violas, que surpreendiam os sportinguistas, deixaram as águias, de novo, em grande posição, repetindo o mesmo parcial (20-25).

A perder por dois sets a zero, o Sporting apresentou, por fim, uma reação à vantagem conquistada pelo Benfica e, pela primeira vez, controlou uma vantagem num parcial, embora sem fugir, excluindo-se uma vantagem de três pontos, prontamente anulada.

Mesmo desperdiçando a vantagem de 23-21 e 24-23, o Sporting almejou mesmo levar a partida para um quarto parcial, já nas diferenças (26-24), através de uma grande receção a um ataque benfiquista, que permitiu um remate forte, intercetado para fora.

No entanto, a melhoria exibicional da equipa leonina não se arrastou para o quarto parcial, controlado pelo Benfica assim que conseguiu uma vantagem de dois pontos, a 4-6, que chegou a ser de cinco, aos 12-17, antes da última reação sportinguista.

Dois pontos consecutivos dos comandados de João Coelho ainda deram esperanças ao Sporting, mas o Benfica mostrou-se muito sólido em todos os momentos, não quebrou e rapidamente regressou à mesma vantagem pontual, com a qual terminou, em 20-25.

Ficha de jogo:

Jogo realizado no Pavilhão João Rocha, em Lisboa

Sporting -- Benfica, 1-3

Parciais: 20-25 (24 minutos), 20-25 (25), 26-24 (29) e 20-25 (24)

Sob arbitragem de Rui Reis e Sofia Costa, as equipas alinharam:

Sporting: Thiago Gelinski, Gil Meireles (líbero), Tiago Barth, José Masso, Josué López e Brian Melgarejo. Jogaram ainda Joaquín Gallego, José Jardim, Gabriel Bertolini e Kelton Tavares

Treinador: João Coelho

Benfica: Tiago Violas, Ivo Casas (líbero), Thales Falcão, Hugo Gaspar, Rapha e André Aleixo. Jogaram ainda Peter Wohlfahrtstätter, Bernardo Westermann, Aaro Nikula e André Lopes

Treinador: Marcel Matz

Assistência: Cerca de 400 espetadores