F. C. Porto

Contas do clube aprovadas sem votos contra

Miguel Pataco e Nuno A. Amaral

Pinto da Costa lidera o clube e a SAD portista

Foto Ivan Del Val/global Imagens

O relatório e contas 2021/22 do F. C. Porto foi aprovado, esta segunda-feira, em assembleia geral do clube, não se tendo registado qualquer voto contra e contabilizando-se, apenas, cinco abstenções. Na reunião magna, os sócios portistas também aprovaram a proposta do aumenta das quotas de 10 para 12 euros mensais.

Ao contrário do que aconteceu com a SAD, cujo lucro atingiu os 20,7 milhões de euros no mesmo período, o clube apresentou um prejuízo de 2,695 milhões de euros, resultado, ainda assim, ligeiramente melhor do que aquele que foi registado em 2020/21 (-2,816M€).

O relatório e contas foi aprovado sem qualquer voto contra e apenas cinco abstenções entre os cerca de 300 sócios presentes no Estádio do Dragão, que também aceitaram a proposta do aumento das quotas dos associados, que passarão dos 10 para os 12 euros mensais. Neste caso, a proposta da direção recebeu quatro votos contra e 15 abstenções.

Segundo foi explicado pela Direção do F. C. Porto, as contas do clube causam, anualmente, entre dois a três milhões de euros de dívida na Sociedade Anónima Desportiva, sendo que este aumento de quotas permitirá manter as modalidades do clube competitivas e a lutar por títulos. A subida do preço das quotas deverá gerar uma receita extra de 1,5 milhões de euros em 2022/23.

Entretanto, Fernando Cerqueira, presidente da Comissão de Recandidatura de Pinto da Costa, anunciou que vai apresentar mais uma proposta para a reeleição do atual líder no ato eleitoral de 2024.

Na assembleia geral desta segunda-feira não foi discutida a sucessão de Fernando Gomes, que era elemento da Direção e que faleceu no passado sábado, vítima de doença prolongada. O antigo goleador dos dragões foi homenageado com um minuto de silêncio antes do arranque dos trabalhos.

No final da reunião magna, Pinto da Costa agradeceu a presença dos associados e a confiança que em si tem sido depositada ao longo dos últimos 40 anos.

"Há muito que fazer e trabalhar, por isso temos de pensar no futuro trabalhando no presente. Temos muitas lutas à nossa frente, milhões de impostos para pagar e uma comunicação social que cada vez mais tenta derrubar o F. C. Porto. Continuamos concentrados à volta da nossa bandeira e não estamos preocupados com eleições", afirmou o presidente portista, aproveitando a ocasião para fazer um "apelo fora da ordem de trabalhos": "ajudem o Coração da Cidade porque há cada vez mais gente a dormir nas ruas".

Relacionadas