Indonésia

Dois responsáveis do Arema banidos do futebol para o resto da vida

JN

Confrontos entre adeptos e a polícia no estádio Kanjuruhan, na Indonésia

Foto Afp

O responsável pela organização dos jogos e um elemento da segurança do ​​​​​​​Arema foram banidos por toda a vida do futebol pela federação indonésia, após os confrontos no jogo com o Persebaya Surabaya, no sábado, que resultaram em, pelo menos, 131 vítimas mortais.

Dois responsáveis do Arema foram suspensos até ao final das suas vidas pela Federação Indonésia de Futebol, na sequência dos incidentes que se seguiram ao jogo entre aquela equipa e o Persebaya Surabaya, a contar para a liga local.

Em causa estão o responsável pela organização de jogos, Abdul Harris, um elemento da segurança do clube, Suko Sutrisno.

Segundo o presidente da comissão disciplinar da federação indonésia, Erwin Tobing, o Arema foi multado em 250 milhões de rupias indonésias, o equivalente a cerca de 16.500 euros.

As cenas de violência entre os adeptos e as forças policiais indonésias resultaram em, pelo menos, 131 vítimas mortais e mais de 300 feridos, de acordo com o balanço mais recente, atualizado esta terça-feira.

No Arema atuam o português Sérgio Silva e o internacional guineense Abel Camará.

Entretanto, a UEFA anunciou que os jogos desta semana referentes às competições europeias serão precedidos de um minuto de silêncio em memória das vítimas da tragédia vivida no estádio Kanjuruhan, em Malang.

Relacionadas