MotoGP

Miguel Oliveira e a despromoção à Tech 3: "Estamos a analisar outras opções"

Miguel Pataco

Miguel Oliveira|

 foto EPA/CLAUDIO GIOVANNINI

Miguel Oliveira|

 foto JORGE GUERRERO / AFP

Miguel Oliveira|

 foto EPA/JOSE SENA GOULAO

O piloto português admitiu que a KTM lhe propôs voltar à equipa-satélite Tech 3 na próxima temporada, mas garantiu que, neste momento, todos os cenários estão em aberto e manifestou o desejo de continuar aos comandos de uma equipa de topo em 2023.

Depois de ter sido 15.º classificado nas primeiras sessões de treinos livres para o Grande Prémio de Itália, que se corre este fim de semana, Miguel Oliveira falou ao canal oficial do MotoGP e abordou o futuro, após ser questionado se a KTM lhe tinha proposto deixar a equipa de fábrica e voltar à Tech 3, formação que representou em 2019 e 2020 e pela qual conquistou duas vitórias no Mundial de MotoGP.

"Ainda está tudo em aberto. É verdade que me foi oferecida essa posição [na Tech3], mas neste momento estamos a analisar outras opções e está tudo em aberto. Dentro de uma ou duas semanas haverá novidades", garantiu o piloto de Almada.

Miguel Oliveira deixou claro que a questão, neste momento, é a continuidade na estrutura da KTM e não em qual das formações da marca austríaca, dando a entender que o futuro pode passar por outra das equipas que estão no MotoGP.

"Neste momento há muitos pilotos, mas não muitos lugares. A minha ambição é continuar a competir numa equipa de topo", garantiu, neste caso em entrevista à "Sportsweek", publicação à qual deixou uma série de interrogações.

"Estou a fazer-me algumas perguntas agora: 'o que poderia ter feito de diferente? E o que posso fazer mais? Que mais posso fazer para voltar a ter o mesmo lugar que tenho agora?' Ainda não tenho uma resposta para isso", afirmou Miguel Oliveira.

Relacionadas