Europeus de atletismo

Pedro Pichardo "voa" 17,30 metros e vence ouro no triplo salto

Sandra Alves com Lusa

Pedro Pichardo|

 foto ANDREJ ISAKOVIC / AFP

Pedro Pichardo, luso-cubano de 27 anos|

 foto Sergei GAPON / AFP

Pedro Pichardo|

 foto ANDREJ ISAKOVIC / AFP

Pedro Pichardo|

 foto Leszek Szymanski /EPA

Pedro Pichardo|

 foto ANDREJ ISAKOVIC / AFP

O atleta luso-cubano Pedro Pichardo venceu, este domingo, a prova de triplo salto dos Europeus de atletismo de pista coberta de Torun, na Polónia.

Pedro Pichardo, de 27 anos, conquistou a medalha de ouro com a marca de 17,30 metros, alcançada no primeiro ensaio.

Em segundo lugar ficou Alexis Copello, do Azerbaijão, com 17,04 metros e em terceiro o alemão Max Heb, com 17,01 metros.

No segundo ensaio Pichardo saltou 17,09 metros, o terceiro e quinto foram considerados nulos, no quarto registou 17,06 metros.

"O meu objetivo era garantir a vitória logo a abrir, e já com a vitória garantida fazer um grande salto, a seguir. Depois do quinto salto, já deu para perceber que eles começaram mesmo a ficar fatigados, mas não consegui melhorar no último", recordou Pichardo, já depois de ter recebido a medalha de ouro.

O atleta, que é treinado pelo seu próprio pai, Jorge Pichardo, não escondeu, no entanto, que não gostou do primeiro salto: "Não foi bom. Há sempre erros e naquele salto eu fiz vários erros, por isso não podia estar muito feliz com isso, apesar de ter sido o suficiente para conseguir a vitória, hoje".

Pedro Pichardo com a medalha de ouro

Foto: EPA/ADAM WARZAWA

"Posso saltar mais longe, e esse é sempre o meu objetivo - ser o melhor que posso ser. Queria mesmo fazer um salto bem maior", acrescentou, descartando que a melhoria do recorde nacional seja a meta. "Bater o recorde nacional não é realmente um grande objetivo, porque hoje existem outros saltadores que estão a saltar muito mais longe do que isso. Veja-se o [Hugues Fabrice] Zango, o recordista mundial em pista coberta, ele já saltou 18 metros. Eu quero é passar essas marcas. Bater o recorde nacional só por si não me deixa por cima deles", acrescentou Pichardo.

"Mas mais importante é levar a vitória na bagagem para casa. Depois de perder uma medalha em Doha (nos Mundiais), ganhar o ouro aqui significou muito, principalmente porque é uma forma de mostrar o reconhecimento pelo que Portugal fez por mim, de me dar a oportunidade de continuar a fazer o que quero, saltar, por isso estou muito grato por isso", disse ainda.

O atleta do Benfica nasceu em Cuba e naturalizou-se português no final de 2017.

Já competiu em Campeonatos do Mundo por Portugal, mas em provas continentais esta é uma estreia.

Era o favorito ao ouro, por ser o líder europeu do ano, com 17,36 metros, e também por ter sido o melhor na qualificação em Torun, único a passar os 17 metros.

Há dois anos, foi quarto classificado nos Campeonatos do Mundo, mas no seu currículo conta ainda com duas medalhas de prata, em 2013 e 2015, ainda como atleta de Cuba.

Esta é a segunda medalha de Portugal nestes Europeus de Torun, depois do ouro de Auriol Dongmo no lançamento do peso, sexta-feira, elevando para 25 o total das medalhas lusas em todas as edições dos campeonatos.

Relacionadas