Sporting

Ruben Amorim: "Não vale a pena olhar para a classificação"

Miguel Pataco

Ruben Amorim lida com muitas baixas no plantel

Foto Pedro Rocha / Global Imagens

O treinador do Sporting fez, esta quinta-feira, a antevisão do jogo com o Gil Vicente e assumiu que, em Alvalade, há "urgência de ganhar jogos e pontos" para evitar que a diferença para os líderes do campeonato aumente ainda mais. "Onze pontos são muitos pontos", assumiu Amorim.

A paragem para os compromissos das seleções foi "bem aproveitada" para corrigir alguns erros, como os cometidos durante a derrota com o Boavista, no Bessa, antes da pausa internacional.

"A paragem não foi boa, porque perdemos o último jogo e, quando assim é, queremos jogar logo no dia a seguir", afirmou Ruben Amorim, que pretende que o plantel mantenha a tranquilidade, mesmo estando a 11 pontos do Benfica, que lidera o campeonato.

"Não podemos ficar nervosos com isso, mas temos de ter noção da tabela classificativa. Se durante duas épocas fomos tão exigentes, temos de ter noção da situação em que estamos e da urgência de ganhar jogos e pontos. Mas não vale a pena olhar para a classificação, temos é de manter a consistência exibicional, a consistência de resultados é que não tem existido. Às vezes é melhor não jogar bem e ganhar, como aconteceu na nossa primeira época", resumiu o técnico.

"Temos noção do momento em que estamos. O Objetivo é vencer todos os jogos até ao final do campeonato. Onze pontos são muitos pontos, mas estamos na sétima jornada. Na época passada senti a equipa ansiosa quando estávamos a três pontos [da liderança] e, agora, não vale a pena pensar nisso. Serei o primeiro a assumir responsabilidade, mas não há que pensar em títulos: há que pensar em ganhar jogos", acrescentou Ruben Amorim.

O treinador do Sporting admitiu que continua a lidar com muitas baixas - Coates, Porro, Neto e Jovane não recuperam, enquanto St Juste vai ser convocado, mas não tem condições para jogar de início, mantendo a dúvida se Paulinho recuperará a titularidade, esta sexta-feira, frente ao Gil Vicente.

A propósito do adeus de Portugal à "final four" da Liga das Nações, Ruben Amorim foi questionado se ser selecionador faz parte dos seus planos de carreira.

"Neste momento, isso não me passa pela cabeça (ser selecionador). Estou preocupado com o meu lugar, por causa da exigência que temos aqui. O reflexo do treinador é sempre no campeonato, mesmo depois de duas vitórias na Champions. No futuro não sei. Seria difícil, neste momento, trabalhar no campo só de vez em quando. Portugal perdeu contra uma grande seleção, com um golo perto do fim, e nós sabemos bem o que isso custa", reagiu.

Relacionadas