Morte de João Carvalho

Árbitro diz que parou combate de português no momento certo

Árbitro diz que parou combate de português no momento certo

O árbitro da luta em que morreu o português João Carvalho disse que parou o combate no momento certo.

Mariusz Domasat parou o combate entre Charlie Ward e João Carvalho quando o atleta português estava prostrado no chão a levar murros consecutivos na cabeça. No vídeo, vê-se que foram pelo menos nove.

"Parei o combate quando houve um motivo para parar o combate, quando o lutador demonstrava não ter vontade para continuar", disse Mariusz Domasat.

"Qualquer pessoa que tenha ideia do que é a MMA sabe que a luta foi interrompida no momento certo", acrescentou, em declarações ao jornal "The Star".

"Sou um árbitro experiente e faço parte da Associação Irlandesa de Segurança para a MMA e sei o que estou a fazer", acrescentou Domasat.

O pai do atleta vencedor não parece pensar da mesma forma. "Na minha opinião o árbitro podia ter sido um pouco mais rápido [a interromper]", o combate, disse Charlie Ward Senior. Em declarações à rádio RTÉ Radio 1, sublinhou que o filho ficou muito afetado com o que sucedeu. "Não queria matar ninguém. Foi uma daquelas coisas infelizes", argumentou.

João Carvalho, conhecido por "Rafeiro", morreu na segunda-feira à noite, num hospital de Dublin, onde deu entrada em estado crítico depois de um combate na capital irlandesa, o primeiro internacional da carreira do atleta de 28 anos.

Adotando um procedimento normal aplicado a todas as mortes súbitas, a Gardaí, polícia irlandesa, iniciou uma investigação, cujo resultado será entregue para análise por um magistrado do Tribunal do Coroner de Dublin.

Também a Autoridade de Segurança e Saúde (HSA na sigla inglesa) está a fazer um inquérito preliminar às circunstâncias do acidente para ver se há motivo para uma investigação integral.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG