O Jogo ao Vivo

Rali de Portugal

Armindo Araújo arrasa concorrência entre os pilotos portugueses

Armindo Araújo arrasa concorrência entre os pilotos portugueses

Armindo Araújo (Hyundai i20 R5) foi, esta sexta-feira, o melhor piloto português no dia de arranque do Rali de Portugal, batendo a concorrência lusa em seis das sete classificativas do dia.

O piloto de Santo Tirso terminou o dia com uma vantagem de 50 segundos para Ricardo Teodósio (Skoda Fábia R5), que foi o segundo melhor português, tendo o último lugar do pódio nacional desta jornada de arranque sido ocupado por Bruno Magalhães, também em Hyundai, que teve uma desvantagem 1.48 minutos.

"Foi um dia que correu bastante bem, tivemos sempre a prova dominada, conseguimos impor o ritmo bom e não atacámos em demasia, controlando sempre os nossos adversários. É sempre bom partir para amanhã [sábado] com quase um minuto de avanço", disse o piloto nortenho.

Armindo Araújo começou a cavar a vantagem logo nos troços da manhã, nas primeiras passagens por Lousã, Góis e Arganil, beneficiando dos problemas de Miguel Barbosa na suspensão do seu Skoda Fabia R5, logo na primeira especial, que o levou a terminar o dia mais cedo.

"O triângulo da suspensão do lado direito/frente cedeu sem que tivesse batido em nada. Foi estranho. Perdemos muito tempo e optámos por não regressar, pois temos nova prova dentro de três semanas. É mau para as nossas aspirações no campeonato, mas ainda faltam muitas provas", disse o desafortunado piloto de Lisboa.

Sem a concorrência do ex-campeão nacional de todo o terreno e de velocidade, coube a Bruno Magalhães (Hyundai i20 R5) e, sobretudo, Ricardo Teodósio (Skoda Fabia R5) ameaçarem a posição de Armindo Araújo, que na parte da tarde voltou a revelar forte andamento, sendo, também, o melhor português na Superespecial de Lousada.

"Fizemos o que tínhamos planeado, de nos manter nos três primeiros, tivemos um andamento tranquilo. Apesar da desvantagem para o Armindo estamos sem stress", disse Ricardo Teodósio.

Já Bruno Magalhães queixou-se de problemas no carro que o afetaram desde fase inicial do dia.

"Tivemos um problema com uma válvula que nos fez perder algum tempo, vamos hoje tentar resolver a questão. Além disso tivemos dois furos. Espero ter mais sorte amanhã", disse Magalhães.

Outro dos azarados do dia no 'pelotão' Luso foi Pedro Meireles, que na quinta especial, na segunda passagem por Arganil, viu o seu Volkswagen Polo GTI R5 arder e colocar um ponto final à passagem por esta edição do Rali de Portugal.