Desporto

"Às vezes há batalhas impossíveis de ganhar", diz Mourinho

"Às vezes há batalhas impossíveis de ganhar", diz Mourinho

O treinador português José Mourinho, do Chelsea, derrotado em casa pelo Liverpool (3-1) e que continua a ter vida difícil nesta época futebolística, considerou que "às vezes há batalhas impossíveis de ganhar".

"O que vi dos meus jogadores é que estavam bem, até chegar o momento em que percebi que não se podia fazer melhor", começou por dizer Mourinho, após nova derrota em Stamford Bridge, que mantém os campeões na parte debaixo da classificação.

Depois de um arranque de partida muito bom, com golo de Ramires aos quatro minutos, os londrinos foram perdendo fulgor e o Liverpool foi assumindo o controlo das operações, mas só chegou ao merecido golo do empate no terceiro minuto de descontos da etapa inicial, através do brasileiro Coutinho.

Na segunda parte, o Chelsea voltou a aparecer melhor e remeteu o Liverpool para a sua defesa, tendo o conjunto de José Mourinho reclamado ainda com a decisão do árbitro Mark Clattenburg em não expulsar o brasileiro Lucas Leiva com o segundo cartão amarelo.

Óscar ainda podia ter feito o 2-1, mas o seu 'chapéu' foi espetacularmente defendido pelo guarda-redes belga Simon Mignolet, tendo este momento coincidido com o 'desaparecer' do Chelsea em campo.

Aos 74 minutos, novo momento grande de Coutinho em campo, ao bisar na partida, tendo o Liverpool, perante um Chelsea completamente derrotado, ainda feito o 3-1, pelo belga Benteke, aos 83.

"A luta continua, às vezes há batalhas que são impossíveis de ganhar. Posso jogar contra qualquer equipa, contra qualquer treinador, ganhar ou perder, mas não se pode fazer mais", referiu Mourinho.

O técnico voltou também a dizer que os adeptos do Chelsea "não são parvos" e sabem a razão pela qual o Chelsea tem tido resultados negativos, e quando questionado em relação ao seu futuro, falou de râguebi.

"Vou para casa e encontrarei uma família dececionada. Tentarei ver o râguebi [final do Mundial entre Austrália e Nova Zelândia] e desligar-me um pouco disto, até começar a preparar o treino de amanhã [domingo] para o jogo de quarta-feira [o Chelsea recebe o Dínamo Kiev na Liga dos Campeões]", concluiu.