Futebol

Assembleia Geral do Sporting de 30 de junho foi cancelada

Assembleia Geral do Sporting de 30 de junho foi cancelada

Sporting desconvocou a Assembleia Geral marcada para sábado, que serviria para aprovação do Orçamento e Plano de Atividades, anunciaram esta quarta-feira a Mesa da Assembleia Geral, a Comissão de Gestão e a Comissão de Fiscalização.

Estes três órgãos sociais do Sporting em exercício entenderam que a responsabilidade pela elaboração desse Plano de Atividades e desse Orçamento para o exercício económico de 01 de julho de 2018 a 30 de junho de 2019 "deverá pertencer ao Conselho Diretivo que resultar" das eleições agendadas para 08 de setembro, nas quais os sócios vão escolher o sucessor de Bruno de Carvalho na presidência do clube, destituído na Assembleia Geral de sábado, com 71,36% dos votos.

"Foi considerado que a decisão ora tomada é a que melhor defende e salvaguarda os interesses do clube, uma vez que não vincula o futuro Conselho Diretivo ao cumprimento de um Orçamento e um Plano de Atividades que não elaborou e que condicionaria toda a sua atividade durante o respetivo exercício económico", justificam os três órgãos, no comunicado conjunto enviado à agência Lusa.

A nota explica que nos termos do disposto nos Estatutos do Sporting Clube de Portugal, a Assembleia Geral para aprovação do Orçamento de receitas e despesas de cada exercício económico elaborado pelo Conselho Diretivo, acompanhado do respetivo Plano de Atividades e do parecer do Conselho Fiscal e Disciplinar, deverá ter lugar durante o mês de junho.

Contudo, a Mesa da Assembleia Geral, a Comissão de Gestão e a Comissão de Fiscalização sublinham que esta decisão "não coloca minimamente em causa a boa gestão corrente nem os compromissos administrativos e desportivos, assumidos e a assumir, uma vez que, entretanto, se aplicará o regime de duodécimos legalmente previsto".

Perante esta realidade "objetiva e inquestionável, e tendo exclusivamente em vista o escrupuloso respeito pelo compromisso com os sócios quanto à defesa dos superiores interesses do Sporting Clube de Portugal, foi decidido por unanimidade desconvocar a Assembleia Geral agendada para o próximo dia 30 de junho de 2018", refere o comunicado.

Numa das mais concorridas Assembleias Gerais (AG) de sempre do Sporting, que se realizou no sábado, em que votaram 14.735 sócios, Bruno de Carvalho, que marcou presença, votou e permaneceu no recinto da Altice Arena, em Lisboa, até ao anúncio dos resultados, foi destituído com mais de 71% dos votos.

De acordo com os resultados finais, 9.477 dos votantes, com uma correspondência de 53.517 votos, disseram sim ao afastamento de Bruno de Carvalho, enquanto 5.138, correspondentes a 21.475, preferiam a continuidade do presidente.

A AG foi convocada com o objetivo de decidir o afastamento ou a continuidade de Bruno de Carvalho, figura central de uma crise que se agudizou com a perda do segundo lugar na I Liga de futebol e a invasão de adeptos à Academia do Sporting, em Alcochete.