F. C. Porto

Assessor dos dragões acusado de roubar Varandas fala em "torpes e falsas acusações"

Assessor dos dragões acusado de roubar Varandas fala em "torpes e falsas acusações"

Rui Cerqueira reagiu, em comunicado, às acusações dos leões e garante que vai avançar judicialmente contra "aqueles que me imputam factos que bem sabem não corresponderem à verdade".

Rui Cerqueira reagiu este domingo às acusações que lhe estão a ser imputadas pelo Sporting na sequência do clássico da última sexta-feira e anunciou que vai avançar para os tribunais para se defender das "torpes e falsas acusações".

Esta reação, feita através das redes sociais, surge dias depois de o Sporting ter acusado o assessor de imprensa do F. C. Porto de conduta violenta para com Frederico Varandas, "retirando-lhe da mão a carteira com telemóvel, cartões pessoais de identificação e cartões de crédito".

"Face às torpes e falsas acusações que têm sido feitas nas últimas horas, iniciadas pelo Sporting Clube de Portugal e amplificadas por comentadores em diferentes órgãos de comunicação social, pela primeira vez na minha já longa carreira profissional, vejo-me obrigado a vir a público", lê-se no texto em que Rui Cerqueira anuncia que vai "desencadear processos judiciais contra aqueles que me imputam factos que bem sabem não corresponderem à verdade".

Eis o comunicado na íntegra:

"Face às torpes e falsas acusações que têm sido feitas nas últimas horas, iniciadas pelo Sporting Clube de Portugal e amplificadas por comentadores em diferentes órgãos de comunicação social, pela primeira vez na minha já longa carreira profissional, vejo-me obrigado a vir a público para informar o seguinte:

PUB

1. Não correspondem à verdade os factos que me são imputados no comunicado do Sporting Clube de Portugal;

2. A minha honra e dignidade estão colocadas em causa pelas referidas acusações, propaladas pela comunicação social;

3. Acresce que este conjunto de imputações falsas está também a causar danos graves, designadamente à minha Família, que merece respeito e proteção, e que não deveria ser sujeita aos ataques pessoais que lhe têm sido dirigidos nas últimas horas;

4. Não me resta, pois, alternativa que não a de, pela primeira vez e em nome pessoal, tomar uma atitude que nunca pensei ter de vir a tomar;

5. Sou assim forçado a desencadear processos judiciais contra aqueles que me imputam factos que bem sabem não corresponderem à verdade".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG