Exclusivo

Avanço de seis pontos com 12 jogos em disputa é inédito

Avanço de seis pontos com 12 jogos em disputa é inédito

Empate no polémico clássico não deixou tudo igual no topo da classificação, mas coloca o F. C. Porto em situação muito favorável para voltar a ser campeão.

À primeira vista, pode parecer que o clássico entre F. C. Porto e Sporting deixou tudo na mesma. Na prática, contudo, o cenário é diferente e tem rosas e espinhos para os dragões. Por um lado, mantêm a diferença para o maior rival na luta pelo título; por outro, ficam sem vantagem no confronto direto com os leões, o que significa que os seis pontos de avanço são, efetivamente, cinco, já que numa eventual igualdade pontual é o leão que assume a dianteira. Certo também é que os portistas vão abordar o resto do campeonato numa situação que é nova desde que as vitórias valem três pontos.

Desde a década de 1990, nunca um líder entrou nas últimas doze jornadas do campeonato com meia dúzia de pontos a separá-lo do segundo classificado. No período em questão, têm sido múltiplos os exemplos de líderes que chegam a esta fase do campeonato em situações mais ou menos confortável e para todos os gostos, desde dez, nove, oito, cinco e quatro pontos de vantagem para defender, mas é a primeira vez que um fosso como o atual se faz sentir. A novidade, contudo, é meramente numérica. Encontrar casos em que se recuperam desvantagens dessa dimensão só não é impossível porque, em 2011/12, o Benfica claudicou precisamente em benefício do F. C. Porto, de Vítor Pereira.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG