O Jogo ao Vivo

Superliga

Barça, Juve e Real acusam UEFA de não querer modernizar futebol

Barça, Juve e Real acusam UEFA de não querer modernizar futebol

Os espanhóis do Barcelona e Real Madrid e os italianos da Juventus reagiram, esta quarta-feira, ao processo disciplinar instaurado pela UEFA e, num comunicado conjunto, assumiram o compromisso de modernizarem o futebol através de um diálogo aberto com o organismo que gere o futebol europeu.

"FC Barcelona, Juventus FC e Real Madrid CF desejam expressar a total rejeição da insistente coerção que a UEFA tem mantido contra três das mais relevantes instituições na história do futebol. Esta atitude alarmante constitui uma flagrante violação da decisão dos tribunais de justiça, que já fizeram uma declaração clara avisando a UEFA para que se abstenha de tomar quaisquer ações que possam penalizar os clubes fundadores da Superliga enquanto o processo judicial estiver a decorrer", pode ler-se no documento publicado pelos três emblemas.

Sob este pressuposto, os clubes consideram que a abertura de um processo disciplinar é "incompreensível e um ataque direto ao Estado de Direito" que os cidadãos da União Europeia construíram democraticamente, "constituindo uma falta de respeito pela autoridade dos tribunais".

"Desde o início, a Superliga tem sido promovida com o objetivo de melhorar a situação do futebol europeu, através do diálogo permanente com a UEFA e com o objetivo de aumentar o interesse pela modalidade e oferecer aos adeptos o melhor espetáculo possível. Este objetivo tem de ser alcançado num quadro de sustentabilidade e solidariedade, especialmente numa situação económica precária como a que muitos clubes da Europa vivem atualmente", salientam Barcelona, Real Madrid e Juventus.

Os três clubes acusam o organismo de estar fechado a procurar novas soluções para tornar o desporto-rei mais sustentável. "Em vez de explorar formas de modernizar o futebol através do diálogo aberto, a UEFA espera que retiremos os processos judiciais em curso que questionam o seu monopólio sobre o futebol europeu. Barcelona, ​​Juventus e Real Madrid, todos com mais de um século, não aceitarão qualquer forma de coerção ou pressão intolerável, enquanto se mantiverem firmes na vontade de debater, com respeito e através do diálogo, as soluções urgentes que o futebol atualmente precisa", refere o comunicado.

E finalizam: "Ou reformamos o futebol ou teremos de assistir à sua inevitável queda".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG