Futebol

BE quer presidente da UEFA no Parlamento Europeu a discutir racismo

BE quer presidente da UEFA no Parlamento Europeu a discutir racismo

Os deputados do Bloco de Esquerda ao Parlamento Europeu anunciaram esta quarta-feira que vão solicitar uma reunião com o presidente da UEFA para discutir a questão do racismo no futebol, face aos recorrentes incidentes nos estádios, incluindo em Portugal.

A carta dirigida ao presidente da UEFA, Aleksander Ceferin, promovida pelos eurodeputados Marisa Matias e José Gusmão, vai ser enviada na próxima sexta-feira, e até lá será aberta à subscrição dos demais deputados ao Parlamento Europeu.

Segundo o Bloco de Esquerda (BE), a reunião com Ceferin visa discutir "de que modo podem as instituições europeias, entre as quais o Parlamento Europeu, contribuir para a aplicação da IX Resolução da UEFA", intitulada 'Futebol Europeu unido contra o racismo', surgindo esta iniciativa "na sequência de vários incidentes de manifestações racistas em jogos de futebol em Portugal, incluindo o recente de que foi vítima o jogador Moussa Marega", do F. C. Porto, no passado domingo, em Guimarães.

A 20 de novembro passado, cerca de 140 eurodeputados - entre os quais os dois do BE - já haviam subscrito uma carta ao presidente da UEFA, promovida pelo Intergrupo Parlamentar do Anti-Racismo e Diversidade, a reclamar medidas concretas do organismo que gere o futebol europeu, tendo Ceferin respondido na semana passada.

Na resposta, apontam os deputados do BE, o presidente da UEFA "afirmou que era necessária a cooperação das instituições públicas nacionais e europeias e que estava disponível para se reunir com os deputados para debater estas questões", o que motivou os eurodeputados a solicitar então um encontro, dado, no seu entender, serem necessários mais passos para que as medidas saiam do papel para os estádios, já que "o racismo e a discriminação nos campos de futebol continua a existir, como se pôde constatar pelos recentes acontecimentos em Portugal".

"As medidas da UEFA na resolução contra o racismo no futebol são boas, mas em muitos países, como em Portugal, não são pura e simplesmente aplicadas. É, portanto, preciso adotar medidas regulatórias e, se necessário, legislativas, para que essas medidas saiam do papel para os relvados e para as bancadas. Por isso, decidimos solicitar esta reunião à UEFA", comentou o deputado José Gusmão.

Esta iniciativa surge três dias depois dos incidentes verificados no Estádio D. Afonso Henriques, em Guimarães, durante o jogo entre Vitória e F. C. Porto, que o avançado maliano Moussa Marega abandonou após ser alvo de insultos racistas por parte dos adeptos da equipa local.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG