Futebol

SAD do Benfica dá 30 dias a Vieira para sair da administração

SAD do Benfica dá 30 dias a Vieira para sair da administração

SAD do Benfica comunicou, esta quarta-feira, que Luís Filipe Vieira tem 30 dias para abdicar do cargo no Conselho de Administração.

Segundo o comunicado da Benfica SAD enviado à CMVM, as medidas de coação de Luís Filipe Vieira resultam na "impossibilidade de exercer funções como membro do órgão de administração" ​​​​​​​e, por isso, a entidade declarará "o termo das funções do Sr. Luís Filipe Vieira como membro do Conselho de Administração no prazo de 30 dias" se o presidente do Benfica não abdicar do cargo.

Em relação ao alegado desvio de 2,5 milhões de euros por Vieira, a Benfica SAD informa que "está a cooperar com as autoridades competentes, prestando as informações que lhe foram solicitadas e diligenciando no sentido de apurar os factos relevantes para, conforme previsto na lei, aferir o cumprimento dos deveres legais e contratuais por parte do Sr. Luís Filipe Vieira enquanto membro do Conselho de Administração".

A decisão "é tomada ponderando os interesses da Benfica SAD e a necessidade de transmitir, com clareza e transparência a todos os stakeholders da Benfica SAD, informação acerca da composição e do funcionamento do Conselho de Administração", continua a nota.

Luís Filipe Vieira comunicou, na sexta-feira passada, a suspensão "com efeitos imediatos" do exercício de funções como presidente do Benfica.

"O Benfica está primeiro, perante os eventos dos últimos dias, no âmbito da operação Cartão Vermelho, em que sou diretamente visado, e enquanto o inquérito em curso puder constituir um fator de perturbação, suspendo, com efeitos imediatos, o exercício das minhas funções como presidente do Sport Lisboa e Benfica, bem como de todas as participadas do clube", comunicou o advogado de Luís Filipe Vieira, à porta do Tribunal Central de Instrução Criminal (TCIC).

PUB

Esta decisão aplica-se apenas à SAD. O clube encarnado garantiu na terça-feira que vai realizar ainda este ano eleições para os órgãos sociais.

Luís Filipe Vieira, 72 anos, é um dos quatro detidos da operação "Cartão Vermelho", assim como o seu filho Tiago Vieira, o sócio José António dos Santos, conhecido como o "Rei dos Frangos", e o empresário de futebol Bruno Macedo,

A investigação envolve negócios e financiamentos superiores a 100 milhões de euros, com prejuízos para o Estado e algumas sociedades. Segundo o Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP) estão em causa factos suscetíveis de configurar "crimes de abuso de confiança, burla qualificada, falsificação, fraude fiscal e branqueamento de capitais".

Vieira vai ficar em prisão domiciliária até pagar uma caução de três milhões de euros e vai ficar proibido de abandonar o território nacional, com entrega de passaporte; e de contactar com os arguidos do processo, à exceção do filho, os membros do Conselho de Administração da Benfica SAD (Rui Costa incluído), e os administradores e funcionários do Novo Banco, além do ex-administrador Vítor Fernandes.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG