Desporto

Bi-campeão olímpico japonês condenado a cinco anos de prisão por violação de aluna

Bi-campeão olímpico japonês condenado a cinco anos de prisão por violação de aluna

O japonês Masato Uchishiba, duplo ouro olímpico no judo em Atenas (2004) e Pequim (2008), foi hoje condenado a cinco anos de prisão em Tóquio, ao ser declarado culpado de violar uma aluna menor de idade, em 2011.

Segundo a acusação, Uchishiba, de 34 anos, aproveitou-se sexualmente de uma das judocas que treinava no quarto de um hotel da capital nipónica, enquanto esta se encontrava inconsciente e em estado de embriaguez.

O acusado, que ganhou as duas medalhas de ouro na categoria de 66 quilos e se tinha declarado inocente, alegou em sua defesa que as relações com a aluna, pertencente ao clube de judo de uma universidade em Kyushu, no sul Japão, ocorreram com o seu consentimento.

A acusação tinha pedido uma pena de cinco anos de prisão para o antigo campeão olímpico por "não ter dúvidas que violou a aluna, que não se pôde defender, já que desmaiou devido ao consumo de álcool", em declarações recolhidas pela agência Kyodo.

Uchishiba tornou-se professor da universidade japonesa e treinador da equipa de judo da mesma em janeiro de 2011, depois de se ter retirado profissionalmente em outubro de 2010, mas foi demitido da instituição no final de novembro de 2011, por alegadamente ter assediado sexualmente um outro membro da equipa de judo.

Alguns órgãos de comunicação social japoneses mostraram preocupação perante a possibilidade de o caso afetar a candidatura olímpica de Tóquio 2020, que compete com Madrid e com a cidade turca de Istambul para a organização dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Verão.