Futebol

Bis de Soares abre caminho do F. C. Porto para "final four" da Taça da Liga

Bis de Soares abre caminho do F. C. Porto para "final four" da Taça da Liga

O F. C. Porto apurou-se, este domingo, para a fase final da Taça da Liga, ao vencer em Chaves o Desportivo local por 4-2, encontro em que Soares fez cedo os dois primeiros golos.

Os azuis e brancos, que apenas precisavam de um empate para vencer o grupo D, controlaram o desafio e arrancaram cedo para o triunfo, graças a um bis de Soares, aos oito e 16 minutos. Marega, aos 26, e Luís Diaz, aos 80, também fizeram golo.

Numa reta final de jogo com golos, mas sem direito a tempo de compensação pelo árbitro Carlos Xistra, a equipa flaviense reduziu duas vezes o marcador, primeiro por Platiny, 78 minutos, e depois por André Luís, que estabeleceu o resultado final em 4-2, aos 84.

O avançado brasileiro dos visitantes, Soares, marcou nos cinco jogos que realizou frente ao emblema de Chaves, num total de nove golos, superando o antigo avançado Mário Jardel, que somava oito golos ao serviço do F. C. Porto contra os falavienses.

Os transmontanos, que após três anos no principal escalão estão de regresso à LigaPro, estrearam o novo treinador, César Peixoto, tiveram a melhor casa da temporada e estrearam uma nova música de apoio, criada pelo músico popular José Malhoa, mas não conseguiram atingir a primeira presença na fase final.

Ainda cedo no encontro, aos oito minutos, os portistas encontraram o caminho do golo, após boa combinação pela direita entre Saravia, a fazer apenas o quarto jogo oficial esta época, e Corona, com o mexicano a servir Soares, que, ao segundo poste, ganhou a Viegas e finalizou.

PUB

Sem precisar de acelerar muito e impondo o seu domínio, o F. C. Porto fez pouco depois uma jogada muito semelhante à do primeiro golo, agora com Nakajima a ganhar espaço na direita mas a servir Soares, que novamente sobre Viegas cabeceou para o segundo golo.

Só após o 2-0 a equipa da casa conseguiu reagir, mas sem efeitos práticos, com Niltinho, por duas vezes, a destacar-se, primeiro combinando com Wagner e disparando por cima, e depois a servir André Luís, mas este também a disparar para fora.

O avançado Soares voltou a estar em destaque quando sofreu uma grande penalidade de Jefferson, aos 25 minutos, com os flavienses a reclamarem pela demora do árbitro Carlos Xistra em assinalar o castigo máximo. Na conversão, Marega ainda permitiu a defesa de Igor, mas na recarga cabeceou para o golo.

Após assumir o Desportivo de Chaves na quinta-feira, César Peixoto manifestou na antevisão a vontade da equipa praticar um futebol mais apoiado na posse de bola, o que se verificou, mas o perigo surgiu apenas aos 42 minutos, quando Hugo Basto viu Diogo Costa negar o golo com uma boa intervenção no seguimento de um livre.

César Peixoto, que enquanto jogador representou o F. C. Porto, refrescou o ataque com Platiny e Batxi e a dupla funcionou, aos 78 minutos, quando Batxi descobriu o brasileiro na área, que finalizou com um toque por cima de Diogo Costa.

O golo de honra da equipa da casa despertou o apetite por golos. Primeiro para os dragões, que, no minuto seguinte, viu a dupla lançada na segunda parte funcionar também, com Fábio Silva a trabalhar bem e a servir Luís Diaz para o golo. Depois, aos 84 minutos, Marcano falhou na defesa e André Luís finalizou isolado e estabeleceu o resultado final.

Veja o resumo do jogo:

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG